Topo

Radar


Como um estúdio brasileiro reviveu um esquecido jogo japonês no PS Vita

"Vasara Collection" é multiplataforma, mas teve um tratamento especial no PS Vita - Divulgação
"Vasara Collection" é multiplataforma, mas teve um tratamento especial no PS Vita Imagem: Divulgação

Bruno Izidro

Do START, em São Paulo

13/08/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Coletânea "Vasara Collection" reúne jogos de fliperama dos anos 2000 que só haviam sido lançados no Japão
  • Estúdio brasileiro QUByte fez a adaptação do game, corrigiu bugs e até criou um modo de jogo inédito
  • No PS Vita, game pode funcionar na vertical, evocando a resolução original dos arcades

Oito anos depois de chegar ao mercado, o portátil PlayStation Vita não é mais produzido, e são raros os jogos que ainda são lançados para a plataforma. Um deles é "Vasara Collection", jogo japonês que sai nesta terça (13) e que teve participação fundamental de um estúdio brasileiro.

"As pessoas nos agradecem por lançar o jogo para o Vita ainda", diz Marivaldo Cabral, diretor do QUByte. Em conversa com o START, ele revela que a versão do jogo para o portátil da Sony quase não existiu.

Revivendo um jogo, código por código

A coletânea tem versões remasterizadas de "Vasara 1" e "Vasara 2" - Divulgação
A coletânea tem versões remasterizadas de "Vasara 1" e "Vasara 2"
Imagem: Divulgação

"Vasara Collection" não é um game original, mas uma reunião de dois jogos antigos do famoso estilo shoot'em up (os famigerados "de navinha"), que foram lançados para arcades japoneses no começo dos anos 2000. "Vasara" mistura sci-fi com samurais em um Japão feudal de realidade alternativa. Uma das mecânicas de jogo, inclusive, são golpes corpo-a-corpo com espadas.

A coletânea tem versões remasterizadas de "Vasara 1" e "Vasara 2", com suporte a modo co-op local para dois jogadores, além de um incluir um modo adicional, o Timeless, que foi desenvolvido a partir do zero com elementos 3D, novas mecânicas e co-op para até quatro jogadores.

Tanto o trabalho de remasterização quanto a criação do novo modo foram realizados pelo estúdio QUByte, que precisou negociar os direitos dos jogos por cerca de dois anos com a empresa original, a VISCO, que nem está mais na área de games, além de dedicar mais um ano e meio de desenvolvimento.

Time de desenvolvimento da QUByte - Divulgação
Time de desenvolvimento da QUByte
Imagem: Divulgação

A ideia do estúdio era colocar as novas versões no maior número de plataformas possíveis, já que "Vasara" nunca tinha sido lançado além dos arcades e nem fora do Japão. O portátil da Sony estava nos planos desde o início, até pelo fato de os dois jogos anteriores da QUByte, o simulador de autoramas "HTR+" e o beat'em up "99Vidas - O jogo", também terem saído para o portátil.

"Só que a gente não sabia se seria possível fazer o jogo para o PS Vita. Estávamos fazendo e emulação dos jogos, e esta emulação estava muito, muito lenta no Vita", conta Cabral.

A solução foi a equipe reescrever todo o código dos dois jogos. Um trabalho e tanto, mas que valeu a pena. Agora, ambos rodam a 60 fps em todas as versões, e muitos dos bugs originais foram corrigidos pelos brasileiros.

Extraímos o máximo de dados das versões originais para tentar adaptar ao gameplay do novo modo de jogo que fizemos, do zero, totalmente em versão 3D
Marivaldo Cabral, diretor do estúdio QUByte

Vasara pode ser jogado em modo vertical no PS Vita - Reprodução
Vasara pode ser jogado em modo vertical no PS Vita
Imagem: Reprodução
Para a versão de Vita (e de Nintendo Switch), há também uma possibilidade inusitada: jogar em modo vertical, que dá uma experiência mais fiel à resolução original dos jogos. Além disso, "Vasara Collection" é compatível com o PlayStation TV, a versão variante do Vita, incluindo suporte ao multiplayer tanto nos jogos originais como no novo modo de jogo.

Vita é vida

O modo timeless foi desenvolvido a partir do zero com elementos 3D, novas mecânicas e co-op para até quatro jogadores - Divulgação
O modo timeless foi desenvolvido a partir do zero com elementos 3D, novas mecânicas e co-op para até quatro jogadores
Imagem: Divulgação

Como bem disse o então presidente da divisão PlayStation Kaz Hirai ao revelar o portátil na E3 2011: "Vita significa vida". O aparelho segue firme e ainda tem alguns lançamentos marcados para este ano, incluindo a próxima expansão de "Shovel Knight": "King of Cards".

"Vasara Collection" entra nessa lista e, inclusive, com uma versão física, que já está esgotada, feita pelo estúdio brasileiro em parceria com a produtora Strictly Limited Games.

Cabral explica que essa versão teve que ser feito as presas, já que a Sony tinha estabelecido um limite para produzir os cartões de jogos para Vita até fevereiro desde ano, em mais uma decisão que mostrou o fim do portátil. "Outro fator para incluir o PS Vita é que ter mais plataformas significa mais possibilidades de acesso ao público e, consequentemente, aumento das receitas para o seu jogo", explica o diretor da QUByte.

Os fãs do portátil e nostálgicos pelo gênero agradecem. Além do PS Vita, "Vasara Collection" será lançado PS4 e PC (Steam) no dia 13, Xbox One no dia 14 e Nintendo Switch no dia 15 de agosto.

PS Vita foi lançado no Japão em 2011 e teve sua produção encerrada em março de 2019 - Yoshikazu Tsuno/AFP
PS Vita foi lançado no Japão em 2011 e teve sua produção encerrada em março de 2019
Imagem: Yoshikazu Tsuno/AFP

Radar