Topo

Radar


"Auto Chess", "Dota Underlords" ou "TFT": Qual é o melhor "autobattle"?

"Auto Chess", "Dota Underlords" e "Teamfight Tactics" são os principais "autobattlers" do momento - Arte/UOL
"Auto Chess", "Dota Underlords" e "Teamfight Tactics" são os principais "autobattlers" do momento Imagem: Arte/UOL

Daniel Esdras

Do GameHall

12/07/2019 04h00

A mania do momento são os "Autobattlers", gênero que surgiu como um mod dentro de "Dota 2" e se transformou em uma febre. O conceito básico é colocar heróis de MOBAS ou RPG em um tabuleiro que simula o xadrez, e posicionar seu exército em batalhas táticas, evoluindo a cada turno até sobrar apenas um jogador vivo.

Os criadores da façanha são a Drodo, um pequeno estúdio chinês, que preferiu não embarcar com a Valve para desenvolver um game em conjunto e decidiu ficar com seu próprio "Auto Chess" para dispositivos Android e IOS. Depois vieram "Dota Underlords", da Valve, que já está disponível para dispositivos mobile e Steam, e "Teamfight Tactics", ou TFT, a versão da Riot Games focada em "League of Legends".

Mas qual deles está é mais legal no momento? Com tantos jogos e tão pouco tempo, qual desses "autobattlers" escolher? Listamos aqui as vantagens e desvantagens de cada um.

Dota Underlords

Reprodução
Imagem: Reprodução

Vantagens

Sistema de Itens

Reprodução
Imagem: Reprodução

"Dota Underlords" resolveu a maior treta do gênero, que é a coleta e uso de itens. Esses equipamentos podem ser utilizados para melhorar os seus personagens, garantindo bônus nos atributos e algumas habilidades especiais.

Em vez de um sistema com aleatoriedade, como é regra nos concorrentes, "Underlords" foi por outro caminho. Aqui, nas rodadas de preparação, você escolhe uma entre três opções se vencer a rodada, ou fica com um item aleatório se perder. Isso deixa o jogo mais equilibrado e estratégico.

Outro ponto alto na mecânica de itens é a criação de exemplares que beneficiam toda uma aliança de heróis. Existe, por exemplo, um item que faz com que todos os heróis do tipo mecânico explodam após serem destruídos, causando dano em quem estiver perto. Isso deixa a combinação de alianças mais integrada com o sistema de itens, tornando o jogo mais coeso.

Comunidade Vibrante

A comunidade de "Dota 2" marchou em peso para o novo jogo da Valve, que conta com mais de 100 mil jogadores simultâneos em qualquer momento do dia, segundo o Steam. Isso gera uma enormidade de feedbacks e sugestões que ajudam a melhorar o jogo. Além disso, o tempo de espera para encontrar uma partida é bem baixo, o que aumenta a vontade de jogar sempre mais uma rodada.

Nos fóruns do jogo no Steam, as discussões são constantes, com diversos tópicos trazendo guias e debates sobre as melhores estratégias. Tudo isso deixa o game mais vivo e em constante evolução.

Interface

Reprodução
Imagem: Reprodução

Embora algumas escolhas de botões tenham sido pensadas nos dispositivos mobile, e fiquem meio estranhas no mouse, "Dota Underlords" tem a melhor interface até o momento.

Você passa o mouse sobre os elementos e vê explicações didáticas e bem divididas, com boa legibilidade e sem atrapalhar muito a visão do todo. Heróis mostram seu dano por segundo, habilidades, vida e mana. Já outros botões na interface lateral marcam os heróis da mesma aliança no tabuleiro e indicam seus bônus.

Ao final de cada round é exibido o quanto de ouro foi ganho por cada meio, de maneira detalhada e compreensível. É possível ver quais heróis causaram mais dano durante e depois do round, se ele foi do tipo mágico ou físico e quem está sendo mais focado no seu exército -- o que ajuda muito na hora de montar a composição do time no tabuleiro.

O show de informações também aparece antes de a batalha começar. Quando ela começa, você já é livre para navegar pelos tabuleiros sem intrusões ou poluição visual. Mesmo no beta, com algumas falhas, é uma aula de interface do usuário.

Integração Mobile e PC

No momento, "Dota Underlords" é o único com versões mobile e PC. Para piorar a situação da concorrência, ambas já estão totalmente integradas: é comum jogar contra jogadores da outra plataforma sem nenhum problema.

É possível até mesmo migrar a sua partida para o celular em tempo real, permitindo continuar os rounds mesmo que uma emergência te tire da frente do computador.

Desvantagens

Pouco Conteúdo

Por conta de ter sido lançado mais rápido para não perder o embalo do gênero, "Dota Underlords" ainda conta com pouco conteúdo. Não há cosméticos ou recompensas interessantes por vencer. O único prêmio, até o momento, é um título melhor, semelhante ao que acontece com cardgames, como "Hearthstone".

Tutorial

Reprodução
Imagem: Reprodução

Ainda que o tutorial de "Dota Underlords" seja melhor que o do TFT, que inexiste, ele ainda é muito fraco. O que há, no momento, é uma partida de exemplo com explicações por texto pouco didáticas, que passa superficialmente por alguns conceitos importantes como os juros.

De positivo, fica a opção de poder jogar contra a máquina antes de enfrentar outros jogadores.

Demorado

As partidas de "Dota Underlords" podem passar facilmente de meia hora, o que é pouco viável para o ambiente mobile, especialmente por ser um jogo online em tempo real. Isso deve afastar uma boa quantidade de jogadores.

Teamfight Tactics (TFT)

Reprodução
Imagem: Reprodução

Vantagens

Complexidade

Reprodução
Imagem: Reprodução

Se "League of Legends" sempre foi um jogo mais simples que "Dota 2", abrindo mão de várias mecânicas clássicas do gênero para atrair um público que prefere focar em outras coisas, como o combate, em "TFT" foi o contrário.

Enquanto "Underlords" deixou apenas um item por herói, os campeões do TFT podem equipar até três. Além disso, é possível combinar itens para gerar outros, o que deixa alguns campeões extremamente fortes se os itens corretos forem utilizados.

As rodadas de escolha compartilhada permitem pegar campeões com itens já equipados logo no início do jogo. Esse sistema permite, em determinados momentos, escolher o campeão em que o adversário está interessado, criando mais uma camada de estratégia.

O tabuleiro de "TFT" é organizado em Hexágonos, diferente dos quadrados dos concorrentes, o que permite um posicionamento diferente dos outros tabuleiros de Auto Battlers. Isso torna algumas estratégias interessantes e mais elaboradas que as dos rivais.

Se você gosta de complexidade, esse é um ponto positivo, já que "TFT" tem mais camadas de gameplay que "Dota Underlords" e "Auto Chess", pelo menos por enquanto. Caso contrário, fica de ponto negativo.

Comunidade Vibrante

O mesmo que dissemos sobre "Dota Underlords" se aplica aqui. A quantidade de conteúdo sobre o jogo gerada pela comunidade de "League of Legends" já é enorme, e você pode interagir com milhares de outros jogadores nos fóruns oficiais.

O feedback criado por conta dessa quantidade de jogadores vai fazer o jogo evoluir bastante nos próximos meses e anos.

Jogo Rápido

Reprodução
Imagem: Reprodução

Por conta da forma como aborda a batalha entre os jogadores, que realmente se enfrentam round após round nos tabuleiros uns dos outros, uma partida de TFT é consideravelmente mais rápida que uma de "Dota Underlords" ou de "Auto Chess", mesmo com as rodadas de escolha compartilhada tomando bastante tempo.

Uma pena que não exista uma versão mobile para o "TFT", que aproveitaria muito essa vantagem.

Cosméticos

"TFT" já possui diversos cosméticos e um esboço de um passe de batalha para as suas primeiras temporadas. Os jogadores poderão customizar seu personagem, o tabuleiro e vários outros itens interessantes do cenário.

Esses conteúdos já estão disponíveis no beta, e podem fidelizar alguns jogadores, que vão lutar para conseguir as melhores skins e recompensas.

Desvantagens

Tutorial

Não existe um tutorial em "TFT" no momento. Os jogadores são mandados para o combate sem entender o que estão fazendo. O pior ocorre na parte dos itens, em que o jogador deve descobrir sozinho como fazer as junções e fica sem informações para decidir quais as melhores opções para cada campeão.

Alguns vídeos foram publicados no canal da Riot para ajudar os mais interessados, mas enquanto um tutorial não fizar parte da experiência, é difícil indicar o jogo para quem não tem noção do que se trata. A situação fica pior para aqueles que nunca jogaram "League of Legends" e desconhecem os campeões.

Interface

Reprodução
Imagem: Reprodução

Embora os botões do jogo sejam focados na experiência do PC e melhores para serem navegados com o mouse, o design da interface em si é, no mínimo, irritante.

A barra para compra de campeões fica sempre presente na tela, sem a opção de ser desligada. Existe uma espécie de mini-mapa no canto direito indicando os embates que estão ocorrendo, mas ele é mal animado e complexo, dificultando o entendimento de quem ganhou e quem perdeu na rodada, sendo que tudo poderia ser feito nos ícones dos jogadores.

As informações após cada round são escassas, fica difícil entender quanto de ouro ganhou, quanto de dano tomou, qual herói teve o maior dano por segundo ou recebeu mais dano. Todas essas informações são de fácil acesso no "Dota Underlords" e a Riot precisa se adaptar com o tempo.

Fica de ponto positivo algumas explicações bem feitas, como a de quantidade de experiência por nível e o acúmulo esperado de ouro por round, exibidas quando se passa o ponteiro do mouse em cima dos canvas que indicam esses contadores.

Não possui versão Mobile

Por conta de permanecer dentro do launcher de "League of Legends", TFT não deve receber uma versão mobile tão cedo. O jogo tem tudo para fazer sucesso em outros dispositivos, com várias mecânicas que funcionam melhor neles que as dos concorrentes, mas deve demorar para chegar nesse mercado.

Auto Chess

Reprodução
Imagem: Reprodução

Vantagens

Focado no ambiente Mobile

Reprodução
Imagem: Reprodução

Se você vai jogar em dispositivos mobile, não deixe de testar "Auto Chess". Ele tem toda a interface pensada para essa plataforma, uma boa apresentação, e roda bem até em dispositivos mais simples e antigos.

Conteúdo

O jogo já tem eventos e cosméticos, o que o distancia em conteúdo dos outros dois concorrentes. Por ter a base do jogo já montada há tempos, pode investir em áreas que os demais nomes do gênero ainda vão precisar desenvolver por um bom tempo.

Já está bem estabelecido

Ao manter as mecânicas do mod, o "Auto Chess" fica bem convidativo para quem já conhece as mecânicas dos Auto Battlers. Isso, por si só, faria dele a melhor indicação para quem já curtia o gênero.

Desvantagens

Não tem os heróis ou campeões conhecidos

Divulgação
Imagem: Divulgação

Ao se separar da Valve, a Drodo perdeu a chance de utilizar os nomes e designs dos heróis originais do "Dota 2", o que deixou o jogo com algumas escolhas bem genéricas para os personagens.

Os heróis do "Auto Chess" são cópias dos heróis tradicionais do MOBA da Valve, mas com uma estética cartoon e bem clichê, sem muito apelo para quem é jogador de "Dota 2", e menos ainda para quem vem de "League of Legends".

Sem servidor na América Latina

Reprodução
Imagem: Reprodução

Sem o mesmo potencial de investimento dos concorrentes, o "Auto Chess" focou nos centros com maior potencial de jogadores e preferiu não embarcar na América Latina, pelo menos por enquanto.

Mesmo no servidor da América do Norte, experimentamos lag e delays constantes, o que irrita bastante em alguns momentos. Por conta disso, fica difícil recomendar o jogo para quem depende da internet precária brasileira.

Sem Tutorial

Essa é uma área em que "Auto Chess" deveria ter ganhado dos concorrentes, que estão atrás por conta de implementar as suas mecânicas e criar diferenças para se justificar, e por isso abriram mão de um tutorial para iniciantes.

O que o game fornece para os novatos é somente um guia visual no site do jogo, que explica muito pouco sobre as mecânicas, e por isso também falha na hora de atrair novos jogadores. Bola fora.

Palavra final

Jogue "Auto Chess" se: você vive em um país com servidor dedicado. No momento, é impossível indicar o "Auto Chess" sem um servidor na América Latina, mesmo que ele seja o mais preparado para o ambiente mobile. O jogo vai ganhar uma versão para PC em breve, exclusivo da Epic Game Store, quando talvez apareça um servidor que nos atenda. Até lá, ele não é indicado nem para quem só joga no celular.

Jogue "Teamfight Tactics" se: você não faz questão de jogar no celular; se já tem experiência em "League of Legends" e curte o universo do jogo; se gosta de uma complexidade estratégica maior e procura partidas mais rápidas.

Jogue "Dota Underlords" se: é novo no gênero MOBAs; se já é veterano de "Dota 2"; se está preocupado em jogar no PC e no mobile, alternando conforme a necessidade.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Radar