Topo

Pokémon


"Pokémon Sword" e "Shield": motivos para amar e odiar os novos games

Scorbunny, Sobble e Grookey são os novos monstrinhos iniciais do próximo jogo - Divulgação
Scorbunny, Sobble e Grookey são os novos monstrinhos iniciais do próximo jogo Imagem: Divulgação

Tiago Alcântara

Colaboração para o START, em São Paulo

26/06/2019 04h00

"Pokémon Sword" e "Pokémon Shield" chegam ao Nintendo Switch no dia 15 de novembro, mas já andam dividindo a opinião dos fãs. Se os monstrinhos iniciais conquistaram muita gente, as mudanças na Pokédex e a qualidade visual estão tirando o sono dos treinadores.

Enquanto novembro não chega, listamos motivos para amar e odiar os novos "Pokémon".

A polêmica da Pokédex

Durante a apresentação ao vivo do game na E3, os produtores anunciaram que os treinadores não poderão transferir todos os Pokémon de outras regiões – e jogos anteriores – para preencher suas Pokédex em "Sword" e "Shield". Vale lembrar que alguns jogadores chegam a pagar por serviços que "guardam" os monstros capturados em versões anteriores do jogo, como o Pokémon Bank. A resposta para a decisão veio imediatamente. No YouTube, o vídeo da transmissão teve mais 70 mil dislikes.

Uma das justificativas para a mudança de política é que os desenvolvedores querem manter a experiência mais equilibrada. A justificativa não foi lá muito bem absorvida, com alguns veículos listando os games dentre as decepções da E3. Afinal de contas, o que aconteceu com o slogan "Gotta catch 'em all" (temos que pegar todos, em tradução livre)?

Visitante da E3 testa "Pokémon Sword" e "Shield" na feira - David Mcnew/AFP
Visitante da E3 testa "Pokémon Sword" e "Shield" na feira
Imagem: David Mcnew/AFP

Parece jogo de GameCube?

Outro motivo de reclamações foi o visual de algumas áreas abertas do game. Enquanto as cidades ganharam certo charme, alguns fãs não ficaram lá muito impressionados com os cenários exibidos durante a demonstração. Não é para menos. Após anos de jogos para consoles portáteis, muitos torciam por cenários mais caprichados em "Sword" e "Shield". Alguns até usaram "Breath of the Wild", de 2017, como comparação.

Cães lendários? De novo?

A revelação dos personagens lendários do game também não impressionou muito. O personagem da capa de "Pokémon Sword" é um cão carregando uma espada na boca, o que não necessariamente é a coisa mais criativa do mundo. Além do mais, cães já foram usados como criaturas lendárias: quem se lembra do trio Raikou, Suicune e Entei? Resumo da ópera: sobrou até para a capa do do jogo, que virou meme.

Vale lembrar que cada novo lançamento da franquia também significa mais conteúdo em outras mídias. Ou seja, com cada novo jogo, chegam filmes, desenhos animados, cartazes, etc. E esse tipo de pressão faz com que os desenvolvedores entreguem o melhor dentro de prazos apertados. Resta esperar que a Game Freak escute os fãs e dê um merecido tapa no visual antes do lançamento, em novembro.

Muito amor com os Pokémon iniciais

Scorbunny, Sobble e Grookey são os três novos Pokémon que você pode escolher no início de sua jornada. Além do design carismático, a apresentação dos monstros encantou muitos fãs. E são os monstros que, na maioria dos casos, acompanham os jogadores por toda sua jornada na região de Galar e além. O trio anda fazendo sucesso nas redes sociais, e muita gente se pergunta quais vão ser as evoluções de cada um.

Emoção nas arenas de batalha

Outra novidade apresentada pela Game Freak é o tratamento "midiático" que a região de Galar dá às batalhas com Pokémon. No game, há todo um espetáculo em torno das disputas, com ginásios que são verdadeiros estádios, com direito a torcida e tudo mais. Para complementar a experiência, foi criada a mecânica de batalha Dynamax – que deixa os monstros gigantescos – e parece adicionar um clima de Pokémon Stadium a cada disputa de insígnia.

Você está pronto para esse Pikachu gigante? - Divulgação
Você está pronto para esse Pikachu gigante?
Imagem: Divulgação

No clima certo

Uma das adições pedidas pelo público desde "Pokémon Let's Go Pikachu" e "Let's Go Eevee" é a possibilidade de evitar encontros aleatórios com os monstros enquanto você está no caminho entre uma cidade e outra. Além disso, a produtora do game adicionou um sistema de clima que deve fazer com que alguns monstrinhos apareçam com mais frequência em determinadas situações. Durante a chuva, será possível encontrar mais Pokémon do tipo água, por exemplo.

Outra adição bem-vinda para a franquia são as raids cooperativas, nas quais os treinadores poderão se juntar a seus amigos para derrotar monstros gigantes e selvagens no formato Dynamax, de forma parecida com o que já acontece em Pokémon GO, da Niantic. E você, vai comprar no dia 1 ou ainda não se convenceu de que seu Switch merece "Pokémon Sword" e "Shield"?

Mais Pokémon