Topo

Não é só "Streets of Rage": 5 jogos do Mega Drive que merecem voltar

Do GameHall

07/09/2018 04h00

Após 24 longos anos de espera, os fãs de “Streets of Rage” finalmente tiveram no último dia 27 de agosto a grata surpresa do anúncio de um novo jogo da famosa franquia de pancadaria 2D da Sega, que fez a alegria dos jogadores de Mega Drive durante a década de 1990.

Antes disso, em 2017, os fãs da empresa nipônica criadora de Sonic ganharam o remake oficial do clássico “Wonder Boy III: The Dragon’s Trap”, lançado originalmente para o Master System em em 1989 – e que chegou aqui n o Brasil por meio da versão da Tectoy “Turma da Mônica em: O Resgate”.

VEJA TAMBÉM

Como os ventos parecem soprar a favor das antigas, e esquecidas, franquias da Sega, resolvemos relembrar de mais cinco games da empresa que mereciam um remake ou uma sequência! Vem conosco e confira quais são!

1 – Kid Chameleon

Lançado em 1992, “Kid Chameleon” é um jogo de plataforma protagonizado por um jovem que entra dentro de um game de fliperama e agora consegue usar máscaras que lhe concedem poderes especiais. Com mais de 100 níveis, o game apresenta enormes cenários que aproveitam bem o uso das habilidades dessas máscaras, dando à aventura um toque estratégico muito divertido. Certamente um remake ou uma sequência para os consoles modernos, mantendo a essência do jogo original, daria uma boa repaginada neste herói esquecido.

2 – Comix Zone

“Comix Zone” foi um dos games mais criativos que surgiu já no final da geração 16 bits, em 1995, misturando de forma muito inovadora o mundo dos quadrinhos com o dos videogames. O protagonista, chamado Sketch Turner, é enviado para dentro de seu próprio gibi e acaba virando o principal super-herói da sua história, com poderes e habilidades que o ajudarão combater bandidos, monstros e outros perigos desenhados pelo vilão Mortus, que agora está no mundo real. O jogo é uma mistura de gêneros de plataforma, beat’em up e quebra-cabeças que deu bastante certo, mas infelizmente nunca recebeu uma sequência. O momento seria perfeito para um retorno triunfal do carismático personagem ao universo dos games, e claro, mantendo o estilo de histórias em quadrinhos.

3 – Ristar

A simpática estrelinha com seus longos braços teve seus primeiros esboços criados por Yuji Naka durante o planejamento do que viria a se tornar o primeiro game da mascote da Sega: “Sonic The Hedgehog”, em 1991. Foi só quatro anos depois que a Sega, com um time liderado por Akira Nishino e Takeshi Niimura, voltou a esse esboço inicial, que na verdade era um coelho com orelhas que podiam se estender e pegar objetos. O projeto foi ganhando forma e o personagem mudou de coelho para uma estrela humanoide, que usava os braços para pegar objetos. Com belos visuais coloridos e animações cheias de carisma, Ristar é outro personagem esquecido nos arquivos da Sega, mas que merece voltar a brilhar em uma nova aventura!

4 – Golden Axe

Lançado nos fliperamas em 1989, o jogo de fantasia medieval “Golden Axe” é considerado um dos maiores clássicos da história dos videogames, ganhando uma versão bastante fiel no Mega Drive. O game apresenta três guerreiros – Ax Battler, Gillius Thunderhead e Tyris Flare – em uma missão para derrotar o tirano Death Adder e recuperar o lendário “Machado Dourado” roubado pelo vilão. A série contou com vários jogos nos sistemas da Sega, sendo que o Mega Drive recebeu três títulos, o último em 1993. Em 2003 a Sega lançou um remake do primeiro game para PlayStation 2, mas que não agradou aos fãs. Em 2008 foi lançado o último jogo original da franquia, “Golden Axe: Beast Rider”, para Xbox 360 e PlayStation 3, mas também foi outro fracasso. Desde então os fãs aguardam pelo retorno dos guerreiros de Yuria em uma nova aventura digna de bárbaros e amazonas.

5 – Phantasy Star

A série “Phantasy Star” nasceu no Master System em 1987 e ganhou três sequências diretas no Mega Drive, sendo a última de 1993. Em 2000 a série iniciou uma nova aventura com “Phantasy Star Online” no Dreamcast – o primeiro RPG online para consoles caseiros – e trilhou novos caminhos, mas os fãs ainda sonham com uma sequência da série original. Quem sabe algum dia ainda veremos um “Phantasy Star V”, quem sabe seguindo um estilo parecido com o de “Final Fantasy XV” ou ainda um “Dragon Quest XI”?

Mais Start