PUBLICIDADE

Topo

Chegou ao fim após 14 anos: como "Naruto" mudou o mundo dos animes

Qual é o real legado das aventuras de Naruto e companhia pelo mundo ninja? - Reprodução
Qual é o real legado das aventuras de Naruto e companhia pelo mundo ninja? Imagem: Reprodução

Pedro Henrique Lutti Lippe

Do UOL, em São Paulo

23/03/2017 10h00

Ao longo de mais de 14 anos, espectadores acompanharam a jornada do jovem Naruto, que passou de criança rebelde que sofria bullying na escola a guerreiro ninja salvador de todo o mundo.

Inspirado pelo mangá homônimo de Masashi Kishimoto (que acabou em 2014), o anime "Naruto" fez sucesso estrondoso no Japão, sendo transmitido todas as quintas-feiras na TV Tokyo - mas foi no resto do mundo que seu impacto foi maior.

Assim como "Astro Boy" ensinou ao Ocidente o que era anime e como "Dragon Ball" popularizou a arte fora de sua terra natal, "Naruto" foi um divisor de águas ao mudar completamente a maneira como o mercado internacional consome animes.

Com o avanço da internet no início dos anos 2000, esperar anos para que os animes fossem traduzidos para seus idiomas nativos já não era mais uma proposta tão apetitosa para fãs em países como os EUA, a França e o Brasil. Grupos de jovens que cresceram assistindo a séries como "Cavaleiros do Zodíaco" e "Yu Yu Hakusho" tomaram para si, então, a missão de legendar e redistribuir episódios de animes pela rede.

"Naruto" não foi o único anime a cair nas graças destes fãs, os 'fansubbers', mas foi o principal, responsável pela popularização do formato. Questionamentos sobre pirataria não inibiam os fãs do gênero que, do dia para a noite, tornaram-se capazes de assistir a novos episódios já legendados poucas horas após eles irem ao ar no Japão.

Fansubs de Naruto - Reprodução - Reprodução
Tecnologias como Torrent e IRC eram utilizadas para a distribuição de 'fansubs'
Imagem: Reprodução

O mundo dos 'fansubs' cresceu e tornou-se uma realidade problemática para a indústria. Até hoje, muitos animes fazem sucesso e são amplamente distribuídos ilegalmente pelo mundo todo meses antes de ganharem distribuidoras oficiais fora do Japão.

Assim como a indústria da música aprendeu a lidar com a pirataria, porém, a do anime trilha um caminho parecido: atualmente, serviços como o Crunchyroll oferecem, em caráter oficial, o mesmo serviço que os fansubbers prestavam lá atrás. (Aliás, o próprio Crunchyroll nasceu como um site de distribuição ilegal de fansubs.)

Por que os 'fillers' estão morrendo?

Start

Males que vem para o bem

Outro impacto importante de "Naruto" na indústria do anime nasceu de uma infelicidade.

Até mesmo fãs de anime que nunca assistiram às aventuras do jovem ninja conhecem o termo 'inferno dos fillers'. Limitados pela narrativa que estava sendo criada paralelamente por Kishimoto com o mangá "Naruto", a equipe de produção do anime precisou criar histórias paralelas, 'fillers', para manter o desenho no ar de maneira ininterrupta.

Novamente, "Naruto" não foi o único exemplo deste fenômeno - mas, como o maior representante dentre os exemplos, acabou sendo crucificado como bode expiatório.

Teoricamente, o formato faz sentido. Mas a baixa qualidade das histórias paralelas em comparação com a narrativa principal da série fez com que muitos fãs deixassem o anime para trás.

Hoje em dia, por conta da repercussão negativa dos fillers de "Naruto", séries que utilizam este formato de produção estão ficando cada vez mais raras. Ao invés disso, animes do mesmo gênero de "Naruto" como "My Hero Academia" e "One-Punch Man" já preferem interromper a produção de novos episódios quando não há material novo do mangá para ser adaptado, visando a qualidade do conjunto da obra.