PUBLICIDADE

Topo

PAX: "Ver 'Tetris' virar um esporte é um sonho antigo", diz criador do jogo

Claudio Prandoni

Do UOL, em Seattle*

01/09/2014 15h02

Atravessar a Cortina de Ferro em plena Guerra Fria. Vender centenas de milhões de cópias em mais de 50 plataformas. Virar referência no mundo dos games e ícone do universo pop contemporâneo.

Estas são algumas das 'humildes' conquistas do quebra-cabeça "Tetris", criado há 30 anos pelo russo Alexey Pajitnov. Porém, mesmo com tudo isso, ele ainda busca mais para a série:

"Ver 'Tetris' virar um esporte é um sonho antigo meu", revelou ele em apresentação durante a PAX, nos Estados Unidos.

"Nos últimos 6 ou 7 anos eu tenho me empenhado muito nisso. Acho que o 'Ultimate' é um passo nessa direção, mas ainda não chegamos lá".

Por "Ultimate" ele se refere à versão do puzzle que produtora francesa Ubisoft lançará neste ano para PlayStation 4, Xbox One, PC, Nintendo 3DS e PS Vita.

Sem entrar em mais detalhes no assunto, Pajitnov completou dizendo que tem grande interesse em um dia ver um campeonato mundial de "Tetris".

Curiosidades

A apresentação do game designer russo ainda rendeu outras curiosidades sobre o clássico quebra-cabeça.

Desde o momento em que Pajitnov entendeu que o game era algo especial - "Percebi que tinha um jogo bom em mãos porque eu mesmo não conseguia parar de jogar o protótipo!" - até a sua homenagem favorita dentre tantas já feitas ao título, que é quando programaram uma versão de "Tetris" para jogar em prédios - "Isso é demais, já imaginou? Você joga e a cidade inteira pode ver"!

O game designer contou também que gosta de jogar outros puzzles durante o tempo livre, sendo que "Bejeweled" e "Zuma" são alguns de seus favoritos, e que sua versão preferida de "Tetris" é a do Game Boy, por conta de sua importância histórica.

E no celular? Sim, Pajitnov disse que de vez em quando até joga "Tetris Blitz", que usa a tela de toque dos aparelhos mobile, mas não é muito sua praia: "eu joguei muito no computador, então eu gosto de ter botões para apertar".

* O jornalista viajou a convite da Riot