PUBLICIDADE

Topo

GGWP

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Estudo do Twitter reforça Brasil como epicentro de eSports

Twitter Gaming 2021 - Divulgação/Twitter
Twitter Gaming 2021 Imagem: Divulgação/Twitter
Conteúdo exclusivo para assinantes
Leo Bianchi

Leo Bianchi é jornalista, já foi repórter e apresentador do Globo Esporte. É apaixonado por competição e já cobriu Copa do Mundo, Fórmula 1, UFC e mundiais de CS:GO, R6, FIFA, Just Dance e Free Fire. Também é youtuber e pro-player frustrado. No GGWP você encontra análise dos cenários competitivos no Brasil e no mundo, além dos bastidores do universo envolvendo times, jogadores e novidades em geral.

Colunista do UOL

13/01/2022 04h00

Quem acompanha o dia a dia do esporte eletrônico e busca notícias e atualizações sobre o cenário competitivo como um todo certamente tem o Twitter como uma de suas principais plataformas. A plataforma se estabeleceu como uma "segunda tela" dos gamers - e concentra as conversas em geral em torno disso. Um estudo sobre como a rede social se desenvolveu em 2021 mostra o Brasil como um epicentro interessantíssimo de interação.

O primeiro grande trunfo nesse sentido é da LOUD. A Tropinha não deixou a desejar e colocou a organização como a equipe de eSports mais comentada do planeta por meio do Twitter - à frente de gigantes como FaZe Clan, G2, Fnatic e Team Liquid. Aliás, no Top 10, ainda figuram paiN Gaming (em terceiro) e FURIA (sexto). Não restam dúvidas de que, independentemente de desempenhos e resultados, o público brasileiro é, acima de tudo, fidelizado.

A LOUD ainda lidera a categoria de "mais seguidores conquistados" em 2021 e está na quinta posição em visualizações de vídeo na plataforma. Não é novidade para ninguém a capacidade de produção de conteúdo do time, mas é esclarecedor para o cenário como um todo o tamanho da importância de fortalecer a própria marca e enxergar sucesso não somente em resultados esportivos. A atuação fora do servidor define muito sobre o quão longe uma equipe pode chegar.

Num escopo geral, o Brasil aparece em quinto no ranking de países que mais tweetaram sobre games em geral ao longo do ano de 2021 - atrás de Japão, Estados Unidos, Coreia do Sul e Tailândia. Porém, quando se trata de esporte eletrônico, o CBLOL deu show e se firmou como o campeonato mais comentado pelos usuários, no mundo inteiro, durante a temporada. Um show de engajamento e apego por parte dos fãs.

É interessante observar como o League of Legends brasileiro não depende, sob nenhum espectro, do destaque a nível internacional por parte das organizações. Ano após ano, os representantes do CBLOL continuam sofrendo ao encontrar adversários estrangeiros, mas isso não diminui o entusiasmo do público no que diz respeito ao campeonato em geral. Pelo contrário: split após split, o nível do show aumenta, e a recepção do público acompanha.

De acordo com o Twitter, ao todo, foram contabilizados mais de 2,4 bilhões de Tweets sobre games no ano, um aumento de 14% em relação a 2020. O quarto trimestre de 2021 foi o trimestre com maior volume de conversas sobre o tema na história da plataforma. Parece repetitivo, mas é verdade: cada vez mais, as conversas em torno do mercado aumentam - e quem não se insere fica mais e mais para trás.

No que diz respeito ao esporte eletrônico, já está claro: o Brasil se empolga, sim, como qualquer outro país, com o desempenho de seus representantes. Porém, está bem longe de depender disso. Somos referência em engajamento, fidelização e produção de conteúdo. Nossas organizações e publishers dão aula a nível mundial. 2022 promete, e muito, para uma ampliação ainda mais significativa.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL