PUBLICIDADE

Topo

GGWP

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Hashtags, os gritos de torcida na arquibancada virtual

Arquibancada CBLoL - Bruno Alvares/Riot Games
Arquibancada CBLoL Imagem: Bruno Alvares/Riot Games
Leo Bianchi

Leo Bianchi é jornalista, já foi repórter e apresentador do Globo Esporte. É apaixonado por competição e já cobriu Copa do Mundo, Fórmula 1, UFC e mundiais de CS:GO, R6, FIFA, Just Dance e Free Fire. Também é youtuber e pro-player frustrado. No GGWP você encontra análise dos cenários competitivos no Brasil e no mundo, além dos bastidores do universo envolvendo times, jogadores e novidades em geral.

Colunista do UOL

13/04/2021 10h09

Os esportes eletrônicos já provaram inúmeras vezes, em diversas modalidades, sua capacidade de realização de eventos presenciais. As cenas de arquibancadas lotadas ao redor do mundo, inclusive no Brasil, em locais como o Ginásio do Ibirapuera, o Allianz Parque, o Maracanãzinho, o Mineirinho e tantos outros templos especiais, são reproduzidas à exaustão. Porém, com as restrições impostas pela pandemia do coronavírus, o que tem se intensificado ainda mais é o conceito da "arquibancada online".

No Brasil, já se tornou prática recorrente, nos principais torneios de eSports, a batalha de hashtags entre os fãs das organizações. No #CBLOL, por exemplo, donos de grandes massas de torcedores, como paiN Gaming, Flamengo e, mais recentemente, a LOUD, mostram seu engajamento e seu poder de converter em comentários nas redes sociais a empolgação da galera, de maneira vocal e volumosa.

É claro que, nos tempos atuais, todos tiveram de se adaptar - desde as publishers e organizadores de torneios, passando pelas próprias equipes profissionais, pelos jogadores e por todos aqueles que trabalham de alguma forma com o cenário. Esta, porém, é uma tendência que já é nativa dos esportes eletrônicos e que cada vez mais ganha espaço nas modalidades tradicionais. A interação é, sim, o futuro.

Que o digam as tardes e noite dos finais de semana, recheadas de eSports, com League of Legends, Free Fire, Rainbow Six Siege, VALORANT... Quem acompanha o cenário e já tem uma timeline com diversos representantes de vários games sabe que as manifestações de apoio às equipes e aos jogadores favoritos dos fãs dominam as redes sociais. O Twitter, mais especificamente, incorpora a arquibancada.

A identidade criada por Alexandre "Gaules", um dos maiores streamers do Brasil, traduz bem isso. Ao convocar seu público para o alambrado da "Tribonera", o streamer sabe que aflora no "brasileirinho" um sentimento que vai muito além da torcida. É a sensação de inclusão, de fazer parte de algo maior, de se sentir imerso a uma massa movida pelo mesmo sentimento. É fazer amigos à distância e, de certa forma, se sentir abraçado em tempo integral.

A hashtag nas redes sociais é o grito na arquibancada. Os eSports seguem dando seu recado à medida em que campeonatos vão se organizando da melhor forma para acontecer e seguir proporcionado aos usuários um entretenimento de qualidade. Para quem gosta de games, há melhor forma de seguir entretido e manter a mente em dia do que jogar e assistir a streamers jogando? Nada poderia ser tão adequado ao difícil momento atravessado pelo mundo inteiro.

Agora, o que mais importa é estarmos todos seguros e cada vez mais precavidos contra um vírus que segue tirando milhares de vidas no mundo inteiro. Escolha seu time favorito. Selecione streamers que fazem você rir. Interaja com os campeonatos. Aproveite o que de mais precioso o esporte eletrônico tem a nos proporcionar: um entretenimento de qualidade, repleto de aprendizado e diversão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL