PUBLICIDADE

Topo

Control Freak

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

9 bugs irritantes dos games que nunca foram consertados

9 bugs irritantes que nunca foram consertados - Montagem: Control Freak / Divulgação (Electronic Arts, Rockstar, Namco Bandai) / Frame vector created by upklyak - www.freepik.com
9 bugs irritantes que nunca foram consertados Imagem: Montagem: Control Freak / Divulgação (Electronic Arts, Rockstar, Namco Bandai) / Frame vector created by upklyak - www.freepik.com
Victor Bianchin

Victor Bianchin é jornalista, já foi editor da revista Mundo Estranho e escreveu um almanaque de games. Ele tem um Rush de estimação e considera a técnica do button mashing algo subestimado. Em Control Freak você vai ficar por dentro das curiosidades, bizarrices e polêmicas saudáveis do universo dos games.

Colunista do UOL

01/03/2021 08h00

Bugs em videogames são como comentários embaraçosos na ceia de Natal: você não quer que aconteçam, mas é quase uma certeza que vão rolar.

Nesses tempos em que vivemos, descobrir os bugs nem é o grande problema, mas sim a espera para que sejam consertados (aliás, você já viu nossa lista dos bugs mais hilários de Cyberpunk 2077?).

Só que tem vezes em que NUNCA são consertados. E aí é rir pra não chorar. Confira 9 casos em que os bugs saíram vencendo:

1) O sabre maluco em Fallen Order

Star Wars Jedi: Fallen Order foi o jogo em que, após sucessivas decepções, a Electronic Arts provou que ainda tinha capacidade de entregar games à altura do nome Star Wars. Mas nem o fato de o jogo ser ótimo impediu que ele sofresse com esse grande mal, os bugs.

Em certo ponto do jogo, existe a possibilidade de o seu sabre de luz bugar e ficar pendurado na sua cintura de um jeito estranho. Isso faz com que você, muitas vezes, fique impedido de usar o sabre (e passe a depender da Força e do sabre duplo) ou tenha que forçar um modo de o jogo "resetar" a posição dele.

Porém, nenhuma das soluções é 100% garantida ou satisfatória. Se você pretende jogar, saiba que ainda pode acontecer com você.

2) O bug do helicóptero em GTA IV

Na missão final deste jogo, "A Revenger's Tragedy", o protagonista Niko precisa pular de uma moto para um helicóptero onde seus colegas Jacob e Roman estão. Ao alcançar o helicóptero, o jogador precisa apertar um botão repetidamente (espaço no PC, X no PlayStation e A no Xbox) para poder entrar na aeronave.

O bug faz com que a ação de pressionar o botão não faça Niko entrar no helicóptero, impedindo o progresso da missão e fazendo o framerate cair. Como o bug não foi consertado, os jogadores tiveram que criar gambiarras para contorná-lo.

Esse jogo é de 2008. Em 2020, a Rockstar lançou a "Complete Edition" dele para a Steam e o bug ainda está lá.

3) O bug da prisão Leviathan em Knights of the Old Republic

O problema mais famoso em Knights of the Old Republic é uma sequência em que seu personagem e seus aliados precisam escapar da aeronave inimiga Leviathan. Após uma batalha com um chefe, você tem a chance de deixar a nave. O problema é que, se você estava em modo "stealth" quando acionou o mecanismo que liberta seus amigos, há uma chance de o game bugar e não deixar você sair.

Ao longo dos anos, a comunidade criou mods para contornar esse problema na versão de PC. Mas, na versão de console, o único jeito era apelar para um daqueles saves preventivos e jogar toda a parte da Leviathan de novo.

4) O bug que torna impossível atingir 100% em Just Cause 2

Just Cause 2 - Avalanche Studios - Avalanche Studios
Imagem: Avalanche Studios

Para conseguir 100% em todos os objetivos em Just Cause 2, era preciso destruir pelo mapa todos os itens inimigos (incluindo antenas, tanques de combustível, transformadores, estações de energia etc.). Além disso, é preciso obter todos os itens dados pelas missões paralelas.

Só que o jogo apresenta, em todas as plataformas (PC, PS3 e Xbox 360), dois bugs que impedem isso.

Um é que falta uma caixa d'água destrutível no jogo, de modo que é impossível completar os requisitos de destruição. O outro é que a última missão não te dá os itens que deveria, impedindo conseguir todos os colecionáveis. Com isso, o máximo que dá para conseguir em Just Cause 2 é 99,95%.

Os fãs já criaram mods para a versão de PC para contornar isso e também descobriram glitches que permitem chegar aos 100%. Mas o certo seria o Avalanche Studios ter lançado um patch para consertar o problema, o que nunca aconteceu.

5) O bug da porta trancada em Metroid: Other M

Este bug é tão famoso que até ganhou página própria na wiki de Metroid. Em resumo: em certo ponto do jogo, Samus precisa enfrentar vários inimigos dentro de um corredor. Após eliminar os vilões, as portas do corredor se abrem e ela pode prosseguir.

Porém, se, em vez de seguir em frente, a personagem voltar para a área anterior ao corredor, isso fará com que uma porta na fase fique trancada permanentemente e seja impossível concluir o estágio.

Este bug está presente tanto na versão de Wii (2010) como na de Wii U (2016). A Nintendo não lançou patch para arrumar o problema - em vez disso, criou uma iniciativa em que era possível mandar o cartão SD para a empresa para que os dados salvos pudessem ser corrigidos manualmente.

6) O bug de FPS baixo em Blighttown de Dark Souls

A versão para PC do primeiro Dark Souls tinha um problema comum com quedas de frame rate em alguns pontos do mapa. Mas havia uma área específica, Blighttown, em que essa queda era muito acentuada para todo mundo. O valor de FPS ali era de cerca de 20, chegando a cair para 12.

O problema nunca foi consertado no jogo original, que saiu em 2011 para PS3 e Xbox 360. A FromSoftware só foi dar um jeito no bug na versão remasterizada lançada em 2018.

7) O bug do guindaste em Grim Fandango

Grim Fandango - Reprodução (LucasArts) - Reprodução (LucasArts)
Imagem: Reprodução (LucasArts)

O YouTube não tem vídeo para este, sorry!

Grim Fandango saiu originalmente em 1998 e ganhou uma versão remasterizada em 2015. Desde a primeira versão, o game tem um bug bem grave que pode simplesmente impedir seu progresso de continuar.

O game é dividido em cinco capítulos chamados de "anos". Em certa parte do Ano 3, você precisa resolver um puzzle para poder operar um guindaste. O que acontece é que, se você entrar no guindaste segurando um item, você provavelmente não conseguirá mais sair dele.

O único jeito de sair desse bug é carregando um save manual prévio. O problema é que muita gente joga Grim Fandango contando apenas com o autosave. Essas pessoas podem se ver obrigadas a recomeçar o jogo por causa do bug.

Nem a versão original e nem a remasterizada tiveram patches pra consertar isso.

8) O bug de Alien: Colonial Marines que truncava a IA dos inimigos

Nós já falamos de Colonial Marines no nosso post de 5 jogos ruins cujos bastidores foram um inferno. Mas não custa relembrar este bug ridículo.

Basicamente, existe um bug no jogo que é causado por um erro de digitação no código. Um dos arquivos .INI do jogo estabelece comandos de ações para os aliens inimigos. Só que ele troca a palavra "tether" por "teather", o que faz com que as instruções não funcionem.

Esse erro foi parcialmente responsável por um dos principais problemas do game: a AI paupérrima dos aliens, que costumam correr freneticamente pelos cenários e não conseguem enxergar inimigos que estão bem à sua frente.

Alien foi lançado em 2013. O bug foi descoberto em 2018 e só foi "consertado" em um mod de 712 MB feitos por fãs. O Gearbox, estúdio que fez o jogo, nunca lançou um patch para corrigir o problema oficialmente. Mas o CEO Randy Pitchford fez piadinha quando foi avisado da descoberta do bug no Twitter:

9) O bug destruidor de saves de Donkey Kong 2

Este bug, conhecido como "Castle Crush Glitch", consiste em executar alguns comandos em uma fase de Donkey Kong 2 (lançado em 1995 para o SNES) que fazem com que você se transforme numa versão zoada do rinoceronte Rambi, ou então outros personagens do jogo.

Em geral, isso faz com que a fase crashe logo em seguida. O vídeo acima permite entender bem o tamanho do bug.

O problema é que, além de crashar, o bug também comprometia os dados de salvamento do cartucho, de modo que o jogo ficava impossível de ser iniciado novamente. Tenso!

É claro que, na época dos cartuchos, não havia como a Nintendo lançar um patch para corrigir o bug. Mas o engraçado é que, tanto na versão de Wii U como na versão para o Switch (disponível pelo SNES Console), o bug ainda existe! Como essas versões mais novas usam o recurso de "save state" que é característico de emuladores, a corrupção dos saves não é mais um problema tão grave.

Mas é curioso saber que, 25 anos depois, um dos bugs mais graves da história da Nintendo não foi propriamente consertado.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: https://www.tiktok.com/@start_uol/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL