PUBLICIDADE

Topo

Control Freak

Cringe: as 12 cenas mais constrangedoras dos games

Capa Control Freak - 12 cenas cringe dos games - Montagem / Reprodução (Square Enix, Activison, Konami)
Capa Control Freak - 12 cenas cringe dos games Imagem: Montagem / Reprodução (Square Enix, Activison, Konami)
Victor Bianchin

Victor Bianchin é jornalista, já foi editor da revista Mundo Estranho e escreveu um almanaque de games. Ele tem um Rush de estimação e considera a técnica do button mashing algo subestimado. Em Control Freak você vai ficar por dentro das curiosidades, bizarrices e polêmicas saudáveis do universo dos games.

Colunista do UOL

07/01/2021 08h00

Vergonha alheia é aquela coisa: ruim de sentir, mas sempre acompanhada do alívio de não ser você que está fazendo a presepada. E o que dizer quando o alvo da vergonha alheia é um personagem do seu jogo favorito?

Esses casos acontecem quando o roteirista e o diretor resolvem colocar nos personagens suas manias mais bizarras, ou então quando a dublagem falha feio. Comece 2021 com estes casos em que o cringe invadiu nossos joguinhos.

1) "Pelo que eu estou lutando?" - Mega Man X4 (1997)

Após lutar com seu crush, Isis, o reploide Zero se vê com o corpo da amada em seus braços. Desnorteado, ele tem uma pequena crise existencial e grita bem alto: "Pelo que eu estou lutandooooo?".

Era para ser um momento de muita emoção, mas a dublagem em inglês é tão mal feita (assim como em todo o resto do jogo) que o ar de "peça de teatro da quarta série" destrói toda a tensão.

2) Roxas e o dilema do sorvete - Kingdom Hearts 358/2 Days (2009)

O que dizer quando sua melhor amiga está morrendo em seus braços? Bem, a escolha de Roxas, protagonista de KH 358/2 Days, é: "e com quem eu vou tomar sorvete agora?".

Existe todo uma história por trás da frase, pois os dois costumavam tomar sorvete juntos depois do serviço. Mas a frase dita nesse contexto soa tão aleatória e inapropriada que, óbvio, virou meme.

3) Kazuya Mishima casualmente joga o pai no abismo - Tekken (1994)

O primeiro Tekken era um jogo excepcional para a época, mas assistir ao final do protagonista Kazuya Mishima, em que ele joga seu pai (e vilão do jogo) casualmente de um abismo, é bizarro. Ainda mais considerando o sorrisão que ele abre e a música animada que toca no fundo.

Mas quem somos nós para julgar essa relação entre pai e filho, não é mesmo?

4) "Mestre do arrombamento" - Resident Evil (1996)

O primeiro Resident Evil é um espetáculo de diálogos surreais e atuações de dublagem péssimas. Por ser um videogame, ninguém na Capcom se preocupou em criar falas realistas ou em buscar um elenco profissional. Resultado: memes que ainda são engraçados 25 anos depois.

A gente poderia ter escolhido o "sanduíche de Jill", mas vamos com o "mestra do arrombamento", uma pérola dita por Barry quando ele entrega o lockpick à colega. "Jill, aqui está um lockpick. Pode ser útil se você, a mestra do arrombamento, levá-lo com você", diz ele.

Pelo amor de Nemesis, Barry, ninguém fala assim.

5) "Jantar, jantar" - Infinite Undiscovery (2008)

A certo momento, duas crianças convidam o protagonista, Capell, para jantar. Após o diálogo, elas saem fazendo uma dança ridícula e cantando "jantar. jantar!". Não contente com o mico alheio, Capell imita o gesto. E a colega dele ainda entra na onda: "vocês não são trigêmeos!!".

A gente sabe que os japoneses gostam de abusar da suspensão da crença, mas a ideia de crianças ou adultos se comportando assim é surreal.

6) A cena de sexo em Heavy Rain (2010)

Esta aqui entrou na nossa lista de games que tentaram ser sexy e falharam miseravelmente.

Não tem muito o que dizer: após ser torturado, Ethan volta para o hotel e resolve transar com uma jornalista, mesmo sabendo que seu filho permanece sequestrado e fica mais próximo de morrer a cada minuto. Para completar, a cena é cheia de eventos de resposta rápida para as manobras sexuais de Ethan. É como diz aquele meme: choices.

7) Tidus rindo alto - Final Fantasy X (2001)

Em certo momento do jogo, a personagem Yuna tenta ensinar o protagonista Tidus a sorrir. Ele tenta e essa cena em si já é ruim o suficiente. Mas depois ela ainda pede para que ele ria em voz alta. Tidus obedece e a internet ganha um momento para a eternidade.

8) "Isto não é um brutality, é um fatality" - Mortal Kombat 4 (1997)

Mortal Kombat 4 foi a primeira vez em que a franquia tentou usar cutscenes e podemos dizer que a falta de experiência é bem aparente. Os finais de personagem são um pior que o outro, com diálogos horríveis, atuações forçadas e situações embaraçosas.

A história de Jax Briggs leva o troféu de maior lixo, apresentando um final improvável em que Sonya joga Jarek de um precipício, o inimigo sobrevive e volta para puxar o pé dela (literalmente). Quando Jax aparece para salvar o dia e segura Jarek pelo pescoço na beira do precipício, o inimigo tenta apelar por sua vida dizendo que "isso é brutalidade". E aí Jax solta a incrível frase: "Isto não é um brutality, é um fatality".

9) Sonic beija a humana - Sonic the Hedgehog (2006)

Esta cena é ruim o suficiente para a gente ter incluído na nossa lista de 11 péssimas decisões da indústria dos games. Em resumo: Sonic, um ouriço, beija na boca uma mulher humana. Eca!

10) "Eu vou morrer" - Spider-Man 3 (2007)

A adaptação para videogame do filme Homem-Aranha 3 era uma bagunça, com muitos eventos de resposta rápida (quando você aperta um botão durante uma cutscene para realizar uma ação) falhando devido à falta de responsividade dos comandos.

Pelo menos, com isso, a gente ganhou a cena com a vítima de olhos esbugalhados amarrada a uma bomba e que diz "eu vou morrer" toda vez que você falha em um desses eventos.

11) Quiet dançando na chuva - Metal Gear Solid V: The Phantom Pain (2015)

Quiet é a personagem mais estranha de MSG5: além de não falar, ela também consegue se regenerar por meio de energia solar, o que é uma desculpa para ficar seminua o jogo inteiro.

Como se isso não bastasse, ainda temos esta cena em que ela começa a dançar na chuva e rolar em cima das poças, como se água fosse a coisa mais incrível do mundo. A gente sabe que era para ser uma cena emocional e tal, mas? forçou, hein, Kojima?

12) Dante desafinando enquanto chora - Devil May Cry (2001)

No final do primeiro Devil May Cry, Trish recebe um ataque do vilão Mundus e cai no chão, aparentemente morta. O protagonista Dante então se aproxima do corpo desfalecido e grita: "era pra eu ser a pessoa que encheria sua alma sombria com luz!".

Além da fala ridícula, a dublagem parece que foi feita por um moleque na puberdade, já que a palavra "light" (luz) sai TÃO desafinada que até dói aos ouvidos.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: https://www.tiktok.com/@start_uol/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol