PUBLICIDADE

Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

"Halo 5: Guardians" traz gráficos incríveis e momentos de guerra total

Divulgação
Imagem: Divulgação

Pablo Raphael

Do UOL, em São Paulo

26/10/2015 17h01

Com "Halo 5: Guardians", a 343 Industries busca oferecer alguma coisa para cada fã de "Halo": A campanha traz momentos de guerra total e outros mais intimistas, cenários amplos e gráficos incríveis. O multiplayer está presente em vários sabores também, desde o jogo cooperativo até os competitivos Arena e Warzone. Há pequenas e bem-vindas novidades mecânicas, com novos comandos e o sistema de requisições.

No Brasil, "Halo 5" traz dublagem, legendas e menus em português. O dublador Sérgio Fortuna repete o bom trabalho feito nas últimas duas aventuras de Master Chief e o resto do elenco não desaponta. De fato, a dublagem não sofre dos altos e baixos vistos em "Halo 4".

Introdução

Segunda aventura da nova trilogia de Master Chief, "Halo 5: Guardians" é um jogo de tiro futurista exclusivo para Xbox One. Nele, os jogadores controlam duas equipes de Spartan, uma liderada pelo agente Locke e a outra pelo icônico Master Chief. Locke persegue o time do Chief em uma busca interplanetária, enquanto o herói segue na busca pessoal iniciada pelos eventos de "Halo 4".

Fora da campanha principal, os jogadores podem se divertir em partidas competitivas, que incluem desde mata-mata em equipe (modalidade chamada de "Assassino" em "Halo") e rouba-bandeira até o modo Warzone, que parece ser a principal aposta da produtora 343 Industries para a longevidade do game.

Pontos Positivos

Campanha cooperativa

A campanha de "Halo 5" se passa após os eventos do game anterior. Assim, se você não jogou "Halo 4", vai ficar sem entender muita coisa que acontece neste jogo aqui. Os veteranos, por outro lado, vão curtir o retorno de Master Chief à ação e as consequências da aventura anterior e dos eventos da primeira trilogia. Você vai assistir em primeira mão o que aconteceu com o Covenant após a guerra com a humanidade chegar ao fim em "Halo 3", vai se encontrar com personagens queridos da série e visitar mundos que antes estavam apenas nos livros.

Halo 5 Review 1 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Como Master Chief não tem mais Cortana para conversar, a 343 Industries introduziu novos personagens que acompanham o herói em suas aventuras - e outros que os perseguem, sem saber quais as intenções de Chief no game. Com exceção de Buck (vindo de "Halo 3: ODST"), esses personagens secundários são bem rasos e não há nenhum esforço do game em desenvolver suas personalidades e histórias pessoais. A função deles é manter o diálogo rolando e providenciar indicadores da situação, além, claro, de dar muitos disparos - embora a maior parte do trabalho ainda fique para o jogador, o grupo é bem útil no calor do combate.

Jogando em modo cooperativo as coisas ficam melhores, como em praticamente qualquer game que oferece a opção de jogar ao lado dos amigos. Nessa modalidade, cada jogador escolhe um dos Spartan para controlar antes do começo da missão. Os soldados se diferenciam pelo visual e pelo arsenal inicial, mas é bom notar que apenas quem controla Locke ou Chief pode dar ordens para o resto do grupo.

Para todo tipo de fã

Durante a campanha, as missões do Blue Team levam a trama para a frente e são similares às de "Halo 4", com uma pegada mais próxima dos personagens e cheias de mistérios alienígenas para desvendar. Já as missões do Fireteam Osiris (que são a maioria), envolvem batalhas maiores, bem ao estilo de "Halo 3". A ação é envolvente e traz aquele clima de guerra total que faltou no jogo anterior. Espere por fases que podem ser exploradas a pé ou com naves, warthogs e, claro, um tanque Scorpion, assim como uma batalha contra uma nave Covenant gigantesca.

Jogar cada missão com uma equipe diferente é algo que remete ao design de "Halo 2", com o jogador alternando entre Master Chief e o Árbitro ao longo da trama. Outra semelhança está no final do game, que prepara o terreno para o inevitável "Halo 6" - jogo que ainda deve levar uns bons anos para sair.

Halo 5 Review 2 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Novos inimigos

Os Promethean de "Halo 5: Guardians" incluem os inimigos já vistos em "Halo 4" e alguns novos bonecos, como o soldado e os chefões que dão nome ao game. O soldado é mais rápido que o Knight e tem o irritante hábito de se teleportar para lá e para cá no meio da briga. Já os guardiões são inimigos durões e dotados de ataques devastadores - e que só tomam dano ao serem atingidos em um certo ponto do corpo.

Derrotar os guardiões, principalmente quando se joga no nível Lendário, envolve trabalho em equipe e entender bem a arena onde rola o confronto.

Modo Warzone

Maior responsável pela ausência do mata-mata com equipes grandes, o modo Warzone é a principal novidade do multiplayer de "Halo 5" - e é onde boa parte dos jogadores vai se divertir após encarar todos os desafios da campanha solo.

Nesse modo para 24 jogadores (dois times de 12), as equipes azul e vermelha lutam para dominar uma série de instalações militares ao mesmo tempo em que precisam lutar contra os inimigos alienígenas controlados pela máquina. Cada base tomada permite solicitar novos tipos de veículo ou armamento e em alguns momentos os jogadores vão se unir para enfrentar inimigos mais poderosos - ou aproveitar para atirar no rival pelas costas.

Halo 5 Review 3 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Com mapas bem grandes e cheios de possibilidades táticas, o Warzone é o melhor que "Halo 5: Guardians" oferece em termos de partidas multiplayer.

Novas mecânicas

Muito foi alardeado sobre as diferenças entre as armaduras dos Fireteam Osiris (de Locke) e do Blue Team (de Master Chief). Na prática, porém, só o visual dos trajes é diferente, pois todos os Spartan possuem as mesmas habilidades. Duas se destacam: a corrida com ombrada, usada tanto para abrir alguns atalhos nas fases quanto para atacar inimigos, e o pulo seguido de soco no chão. Você pausa o Spartan no ar e segura o botão de golpear, mira num ponto do cenário (ou direto num inimigo) e cai como um Homem de Ferro aterrisando sobre a vítima. É um movimento bem legal.

Há também as ordens que você pode dar para o time quando joga a campanha sozinho. Você pode mandar que eles se posicionem em um determinado ponto do mapa, que todos atirem num mesmo inimigo (isso facilita bastante a luta contra os hunters) e quando cair, pedir que um deles venha te curar.

Na dificuldade Normal, essa ordem torna o jogo bem mais fácil, pois os inimigos não costumam atirar no personagem que está bancando o médico. O mesmo não vale nos níveis Heróico e Lendário, onde se afastar do time e ir pra cima dos inimigos sozinho quase sempre termina com o jogador caído, os aliados indo até ele para o resgate e morrendo também - ou seja, é o caminho mais curto até o retorno ao checkpoint.

Halo 5 Review 4 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

No multiplayer a maior novidade mecânica é o sistema REQ (de requisições), bem parecido com os cards de "Titanfall". Você ganha pontos ao jogar partidas multijogador e com eles, pode comprar pacotinhos com cartas, que incluem efeitos estéticos (armaduras, visores, capacetes e capas de armas diferentes), veículos, armamento e efeitos como ganho de experiência extra, por exemplo.

Assim, durante a partida, você gasta uma quantidade de pontos de energia (acumulada com mortes, assistências e captura de objetivos) para queimar uma carta de REQ e solicitar um Ghost, um Phantom ou uma arma mais poderosa. Já os estímulos concedem ganhos de experiência extras ao cumprir as condições da carta, como ficar entre os 50% melhores da partida ou jogar uma partida em determinada modalidade.

Dublagem bem feita

No Brasil, "Halo 5" traz dublagem, legendas e menus em português. O dublador Sergio Fortuna repete o bom trabalho feito nas últimas duas aventuras de Master Chief e o resto do elenco não desaponta. De fato, a dublagem não sofre dos altos e baixos vistos em "Halo 4", onde alguns personagens gritavam em cenas onde se via que estavam apenas falando normalmente. Há algumas escolhas estranhas na localização, como traduzir "squad" para "esquadra" e não "esquadrão", mas nada que interfira negativamente na experiência.

Pontos Negativos

Multiplayer limitado

O modo Arena inclui a maior parte das modalidades competitivas de "Halo 5". Lá você vai jogar listas que incluem Assassino (mata-mata em equipe), rouba-bandeira e captura de bases, por exemplo. Também é possível criar partidas personalizadas dessas modalidades com algumas modificações nas regras: você pode colocar seus amigos para disputar uma partida de assassino sem escudos nem regeneração de vida, por exemplo.

Alguns modos tradicionais de "Halo" não estão presentes no momento, como o mata-mata em equipes grandes, Oddball e King of the Hill. A 343 Industries já declarou que pretende introduzir essas modalidades através de atualizações futuras.

No modo Arena, as partidas vão rotacionando entre as modalidades disponíveis e você joga o que vier pela frente. Por enquanto, não há listas de jogos e embora o game competitivo seja rápido e divertido, é bastante limitado em comparação ao que se via em "Halo 2" ou "Halo 3".

Nota: 9 (Excelente)

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL