Conteúdo publicado há 6 meses

Acusadora de Epstein diz que príncipe Andrew a apalpou, mostram documentos

Uma mulher que afirmou ter sido vítima do falecido criminoso sexual Jeffrey Epstein disse que o príncipe Andrew, do Reino Unido, colocou a mão em seu seio na casa de Epstein em Manhattan em 2001, de acordo com documentos judiciais de um processo civil revelado na quarta-feira.

O incidente, que foi relatado anteriormente por outros veículos de mídia e que Andrew negou, estava entre os detalhes descritos em um conjunto inicial de documentos previamente redigidos que revelaram alguns detalhes novos sobre a extensão das supostas atividades de tráfico sexual de Epstein.

Espera-se que mais documentos sejam revelados nos próximos dias.

O príncipe Andrew não pôde ser contatado imediatamente para comentar o assunto.

Epstein interagia com autoridades de Wall Street, realeza e celebridades antes de se declarar culpado de solicitar prostituição de uma menor em 2008. Ele tirou a própria vida em 2019, aos 66 anos, enquanto aguardava julgamento por acusações federais de tráfico sexual.

Dezenas de mulheres acusaram Epstein de forçá-las a prestar serviços sexuais a ele e a seus convidados em sua ilha particular no Caribe e em casas que ele possuía em Nova York, Flórida e Novo México.

Os nomes de mais de 150 pessoas mencionadas em um processo movido por Virginia Giuffre, uma das mais proeminentes acusadoras de Epstein, foram mantidos em sigilo durante anos, até que um juiz federal determinou no mês passado que não havia justificativa legal para mantê-los em sigilo.

Em um depoimento, Giuffre disse que teve relações sexuais com vários políticos e líderes financeiros.

O depoimento de Giuffre citou várias figuras proeminentes que anteriormente negaram as alegações dela, incluindo o proprietário de fundos de hedge Glenn Dubin, o bilionário empresário norte-americano Tom Pritzker e o falecido governador do Novo México Bill Richardson.

Continua após a publicidade

Ela disse que também teve relações sexuais com outros líderes políticos cujos nomes ela não se lembrava.

Dubin não foi imediatamente encontrado para comentar o assunto. Um porta-voz de Pritzker disse que o empresário "continua a negar veementemente" a alegação.

Em um depoimento separado, Johanna Sjoberg, acusadora de Epstein, disse que o príncipe Andrew colocou a mão em seu seio para posar para uma foto com Epstein, Giuffre e Ghislaine Maxwell, ex-namorada de Epstein.

Essa alegação foi relatada anteriormente pelo Mirror em 2020.

Andrew foi destituído da maioria de seus títulos reais devido à associação com Epstein.

Em 2022, ele resolveu um processo civil com Giuffre por uma quantia não revelada e negou qualquer irregularidade.

Deixe seu comentário

Só para assinantes