PUBLICIDADE
Topo

Alec Baldwin nega responsabilidade por disparo fatal em set de filme

03/12/2021 11h53

Por Jill Serjeant e Brendan O'Brien

LOS ANGELES (Reuters) - Alec Baldwin negou na quinta-feira responsabilidade pelo disparo fatal contra a diretora de fotografia no set de seu faroeste "Rust", dizendo que se mataria se acreditasse ter culpa.

Em uma entrevista emotiva a uma rede de televisão, o ator disse que não puxou o gatilho da arma que usou durante um ensaio e que não acha que será acusado criminalmente.

"Sinto que alguém é responsável pelo que aconteceu, mas sei que não sou eu. Eu poderia ter me matado se achasse que fui responsável e não digo isso levianamente", disse Baldwin a George Stephanopoulos, da rede ABC, em seus primeiros comentários públicos sobre o acidente de 21 de outubro no set de filmagem perto de Santa Fé, no Estado norte-americano do Novo México.

A diretora de fotografia Halyna Hutchins morreu e o diretor Joel Souza ficou ferido quando a arma disparou uma bala real.

O incidente, no qual também se analisa como munição real foi parar no set, ainda está sendo investigado por autoridades do Novo México. Nenhuma acusação criminal foi feita.

Baldwin foi informado por membros da equipe a cargo das armas que a sua estava "segura".

"Fui informado por pessoas inteiradas... que é altamente improvável que eu seja acusado criminalmente de alguma coisa", disse ele.

O ator disse que "jamais apontaria uma arma a alguém e puxaria o gatilho contra a pessoa".

Em sua primeira descrição pública do que ocorreu, ele disse que o revólver Colt disparou quando ele estava engatilhando a arma e ensaiando ângulos de câmera com Hutchins.

“Nesta cena, eu vou engatilhar a arma. Eu disse: ‘Você quer ver isso?’ E ela disse que sim. Então pego a arma e começo a engatilhar a arma. Eu não vou puxar o gatilho. Eu disse: 'Você viu isso?' Ela disse: 'Bem, apenas disfarce e incline um pouco assim'. E eu engatilhei a arma e disse, ‘Você pode ver isso? Você consegue ver isso? E eu solto o martelo da arma e a arma dispara.”