PUBLICIDADE
Topo

Diretor judeu envia mensagem de esperança em filme sobre papa Francisco

Evgeny Afineevsky, diretor indicado ao Oscar - Reprodução / Instagram
Evgeny Afineevsky, diretor indicado ao Oscar Imagem: Reprodução / Instagram

Philip Pullella

Em Roma (Itália)

21/10/2020 12h53

Após abordar a guerra na Síria, o diretor indicado ao Oscar Evgeny Afineevsky queria que seu próximo documentário enviasse uma mensagem de esperança, por isso escolheu como assunto o único líder mundial que acredita ser capaz de unir a humanidade: o papa Francisco.

Afineevsky, um judeu nascido na Rússia, retrata Francisco como o grande conector, e "Francesco", que estreou hoje no Festival de Cinema de Roma, coloca o papa no centro de uma narrativa que trata de alguns dos problemas mais prementes do mundo.

"O principal fio deste filme trata mais de nós como seres humanos, que estamos criando desastres todos os dias. E ele (o papa) é aquele que está nos conectando através destes fios", disse Afineevsky, hoje cidadão norte-americano, em entrevista.

Com o coronavírus como plataforma de lançamento, o filme de duas horas começa com imagens da Praça São Pedro deserta sob a chuva na noite de 27 de março, quando Francisco comandou uma prece surreal e solitária pedindo alívio da pandemia que se alastrava rapidamente.

Depois ele corta para ruas vazias de todo o planeta para enfatizar a mensagem papal de que "estamos todos no mesmo barco".

"Assim como o papa Francisco chama atenção para a situação horrível que nós, como humanidade, criamos, eu quis encontrar esperança, luz e amor e dar esta esperança às pessoas. Por meio de suas ações (do papa), encontrei isso."