PUBLICIDADE
Topo

Ricardo Feltrin

Com anão no elenco, produtora lança pornô mais caro de sua história

Fá Padilha, Elisa Sanches e o mini homem de ferro, interpretado por Pistolinha - Arquivo Pessoal
Fá Padilha, Elisa Sanches e o mini homem de ferro, interpretado por Pistolinha Imagem: Arquivo Pessoal
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

11/07/2021 07h02

Calma, o valor não é de uma superprodução de Hollywood, mas o de um filme pornô nacional.

A Brasileirinhas gastou mais de R$ 60 mil na produção e lançamento de "Mini Homem de Ferro", que já pode ser visto no site www.brasileirinhas.com.br (é preciso ser assinante). Um filme pornô "simples" custa um terço disso, se tanto.

Filmanda em 4K, a produção tem no elenco o ator e anão Pistolinha e as atrizes Elisa Sanches, Fá Padilha e Grazy Moreno.

Só a armadura do "mini homem de ferro" custou mais de R$ 10 mil.

Nunca também a produtora investiu num filme com tantos efeitos especiais (muito engraçados, aliás).

O enredo

Sim, tem enredo, senhoras e senhores.

Na história, Pistolinha está andando a esmo pelas ruas e encontra a armadura intacta num lixo.

Ele não imagina o porquê de o equipamento estar dando sopa (mas deveria), o pega para si e veste.

Cheio de novos superpoderes, Pistolinha entra num dilema: ser um super-herói e salvar o mundo dos vilões ou se satisfazer sexualmente.

Bem, como é um filme pornô vocês podem imaginar qual foi sua escolha.

Antes de "Mini Homem de Ferro", o filme mais caro já lançado pela Brasileirinhas foi "300" (paródia do "blockbuster" com Gerard Butler e Rodrigo Santoro, de 2006), todo feito em "chroma key" (com aquele fundo verde e muita pós-produção).

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops