PUBLICIDADE
Topo

Ricardo Feltrin

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

TV paga exibe filmagem com Cacilda Becker que foi salva de incêndio

Centenário de Cacilda Becker ocorreu no dia 6 de abril - Acervo UH/Folhapress
Centenário de Cacilda Becker ocorreu no dia 6 de abril Imagem: Acervo UH/Folhapress
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

11/04/2021 00h36

Em homenagem ao centenário do nascimento da atriz Cacilda Becker (1921-1969), o canal Arte 1 exibe neste domingo (11) a íntegra da peça "Um Breve Encontro", estrelado por ela em 1968.

Filmada em preto e branco na série chamada de "teleteatro" (produção comum nos anos 60 e 70 na televisão brasileira), a obra foi recuperada em 2019 pelo diretor Cláudio Petraglia (que morreu no mês passado aos 90 anos, de Covid).

"Um Breve Encontro" tem no elenco, além de Cacilda, os atores Mauro Mendonça, Homero Kossac, Elizabeth Hartmann e —pasmem— Fábio Jr. —então um menino de 14 anos.

Filmagem salva por Johnny

A filmagem tem uma história incrível também nos bastidores: ela foi uma das fitas salvas do incêndio que destruiu a Band em 1969.
Quem a salvou foi ninguém menos que João Carlos Saad, o Johnny Saad, hoje presidente do Grupo Bandeirantes.

Então com 17 anos, o jovem conseguiu jogar algumas fitas pela janela e as salvou da destruição.

A Band vem digitalizando todo seu acervo de obras com Cacilda Becker. No inventário há teleteatros "A Grande Mentira", "Casa de Bonecas", "O Resgate", "Vitória Amarga", "A Malcriada", "Inês de Castro".

São cerca de 60 horas de conteúdo só com Cacilda, sendo que 167 minutos do material em preto e branco já foram digitalizados.

Ela só deixou o palco para morrer

Em 30 anos de carreira, a atriz encenou 68 peças e fez três filmes: "Luz dos Meus Olhos" (1947), "Caiçara" (1950), e "Floradas na Serra" (1954).

Com sua obra e arte, ela marcou a história do teatro e da dramaturgia nacional. Ela nasceu em Pirassununga (interior de SP) e literalmente viveu sobre o palco.

Cacilda Becker Yáconis só deixou a ribalta no dia 6 de maio de 1969, e à força: nesse dia ela teve um aneurisma no intervalo da peça "Esperando Godot", que encenava com Walmor Chagas (1930-2013).

Foi levada às pressas a um hospital ainda vestindo o figurino da personagem que interpretava (Estragon). Morreu 39 dias depois, aos 48 anos.

Programa: "Um Breve Encontro"

Onde: Canal Arte 1

Quando: Hoje (11), às 22h

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops