PUBLICIDADE
Topo

Ricardo Feltrin

Filme com Taylor Swift é o mais comentado do Disney+ no Brasil

A cantora norte-americana Taylor Swift  - Reprodução / Internet
A cantora norte-americana Taylor Swift Imagem: Reprodução / Internet
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

30/11/2020 00h18

Taylor Swift já é o assunto mais comentado pelos fãs e assinantes do serviço de streaming Disney+ no Brasil.

O serviço estreou aqui no último dia 17.

"Folklore: The Long Pond Studios" mostra a cantora e compositora durante gravações de 17 músicas de seu último álbum, lançado este ano.

O filme musical virou até agora o assunto da Disney mais comentado por brasileiros e brasileiras nas redes sociais.

É o que mostra uma pesquisa exclusiva obtida pela coluna feita pela Stilingue —uma plataforma de inteligência artificial para monitoramento de citações e postagens em redes sociais em língua portuguesa (do Brasil).

A pesquisa foi feita entre os dias 16 e o último dia 25.

O documentário musical com Taylor, 30 anos, só foi lançado no dia 25, mas concentrou toda a atenção.

Segundo a pesquisa, foram 263 mil menções ao serviço nesses dez dias.

Dessas, 66% das postagens ou menções vieram de perfis aparentemente femininos.

Já 33% provinham de de contas masculinas ou de empresas (1%).

O serviço Disney+ até aqui tem recebido elogios, mas também muitas --e duras-- críticas.

Cerca de 40% das postagens continham queixas, como por exemplo a falta de legendas, ou alterações nas dublagens originais dos filmes e seriados.

Já 43% das menções tiveram conotação "positiva", segundo a Stilingue (empresa fundada em 2014 em Ouro Preto, Minas).

Vejam os 7 conteúdos mais citados do Disney+ nas redes

1 - Folklore
2 - Hannah Montana
3 - Star Wars
4 - High School Musical
5 - Hamilton
6 - The Mandalorian
7 - Feiticeiros de Waverly Place

Fonte: Stilingue

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL