PUBLICIDADE
Topo

Ricardo Feltrin

Dia do Músico: Safadão toca mais do que 'Parabéns a Você' no Brasil

Wesley Safadão é o 1º do ranking com "Camarote" - Reprodução / Internet
Wesley Safadão é o 1º do ranking com "Camarote" Imagem: Reprodução / Internet
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

22/11/2020 00h09

Hoje, 22 de novembro, é comemorado o Dia do Músico.

Para marcar a efeméride, o Ecad fez um levantamento das músicas nacionais mais tocadas no país nos últimos cinco anos.

Para elaborar o ranking, o Ecad (órgão responsável pela arrecadação e distribuição de direitos autorais) analisou as execuções das obras em rádios, festas, sonorização de ambientes, shows, música ao vivo, Carnaval e outras festas pelo país.

Em 2020, obviamente, boa parte dos eventos foi cancelada por causa da pandemia de coronavírus.

Este mês o prêmio Multishow fez sua festa, mas foi criticado pela falta de sertanejos entre os eleitos.

Já o Ecad mostra a força desse criticado estilo em termos de público: foi o mais tocado no país desde 2015.

O ranking tem uma surpresa: a famosa música "Parabéns a Você" (sim, ela também entra na conta) foi a 2ª mais tocada.

Em 1º está "Camarote", conhecida pela interpretação de Wesley Safadão.

Vejam a lista das 10 mais tocadas

(Posição, Música, Autoria, Intérprete mais famoso)

1º - Camarote (Barros Neto/Jota Reis) - Wesley Safadão
2º - Parabéns a Você (Patty Hill/ Mildred Hill/ Lea Magalhães)
3º - Aquele 1% (Vinicius Poeta/ F. Araújo) - Marcos e Belutti
4º - Sosseguei (Thallys Pacheco) - Jorge & Mateus
5º - Seu Polícia (Júnior Angelim) - Zé Neto e Cristiano
6º - Maus Bocados (Gerson Gabriel/ Rafael/ Bruno Varajão) - C Araújo
7º - Eu Sei de Cor (Marilia Mendonça) - idem
8º - Evidências (Zé Augusto/ Paulo S. Valle) - Chitão & Xororó
9º - O Nosso Santo Bateu (Matheus/ Thallys Pacheco) - Matheus & Kauan
10º - 10% (Gabriel Agra/ Danilo Dávila) - Maiara & Maraisa

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL