PUBLICIDADE
Topo

Ricardo Feltrin

Pela 1ª vez em 2020, TV paga ganha mais assinantes do que perde

TV por assinatura cresceu em assinantes pela primeira vez este ano - iStock
TV por assinatura cresceu em assinantes pela primeira vez este ano Imagem: iStock
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

05/10/2020 13h41

Não tem o menor indício de que vai virar tendência, mas não deixa de ser uma ótima notícia para um setor que só vem perdendo assinantes desde 2014.

Dados consolidados na Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) apontam que em agosto a TV paga no Brasil terminou com 15.128.972 assinantes.

São mais de 60 mil assinantes em relação à julho, quando a base fechou em 15.060.698 domicílios.

Na média dos últimos 12 meses, porém, a TV paga segue com a sangria: queda de 8,2% nos assinantes.

Por outro lado esse índice mostra que o ritmo de queda pelo menos está menor.

Em dezembro a média dos 12 meses anteriores chegou a -10,2%. Em julho já estava em -9,8% e agora em -8,2%.

A TV por assinatura no Brasil alcançou seu auge em 2014, com a Copa do Mundo aqui. Quando a Copa terminou o setor caminhava para 20 milhões de assinantes. Desde então só perdeu.

Dois anos antes executivos ligados ao setor estimavam que o país chegaria a 40 milhões de assinantes até 2017.

Não contavam com o fracasso vergonhoso do Brasil na Copa e o surgimento do streaming, além do agravamento das crises política, econômica e sanitária.

O setor também não esperava que a pirataria fosse evoluir tanto, saindo da era do "gatonet" para a internet (hoje, aplicativos).

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops