PUBLICIDADE
Topo

TV paga: Estreia hoje série com maior aventureira radical do país

Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

16/09/2020 00h18

Estreia hoje às 22h, no canal pago OFF, a série "Forças da Natureza", inédita e inteiramente gravada antes da pandemia de coronavírus.

Serão sete episódios, sete histórias e sete sagas daquela que é considerada a maior aventureira e uma das maiores especialistas do Brasil em esportes radicais: a médica Karina Oliani.

Entre as sete aventuras de Karina, 38 anos, estão sua travessia em 2018 em tirolesa sobre um vulcão ativo na Etiópia (conhecido como Porta do Inferno) e sua escalada ao pico do Ama Dablam, no Himalaia, considerada a montanha mais bonita do mundo.

Mas, ela foi além: também foi atrás de tornados nos EUA, mergulha em uma prisão alagada na Estônia e desbrava uma cachoeira desconhecida na Amazônia.

Há ainda um episódio gravado na Jordânia e outro no Canadá.

O canal Off pertence ao Grupo Globo, estreou em 2011 e é dedicado a esportes radicais e sobre a natureza. Nesse caso, as duas coisas estão incluídas na atração.

No ano passado ela se tornou a primeira brasileira a escalar a mortal montanha K2, também no Himalaia.

Um mês depois, já no Brasil, ela deu uma entrevista exclusiva a esta coluna, na qual falou sobre vida pessoal, segurança em esportes radicais e medo (ou não) de morrer.

"Foram sete destinos, um mais inóspito do que o outro, com elementos diferentes. O telespectador vai sentir todo esse poder da natureza", afirma. "Forças da Natureza", diz Karina, que é médica socorrista e também pilota helicópteros.

Como podem ver, a expressão-clichê "mulher empoderada", nesse caso, é mais que justa.

Programa: Forças da Natureza
Onde: Canal Off, na TV paga
Quando: Hoje (16/09), 22h
Horários alternativos: Quinta (17), 11h30, sábado (19) 16h Domingo (20) 10h30

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL