PUBLICIDADE
Topo

Com vaquinha, modelo tenta ressuscitar revista "Sexy" em papel

A modelo, fisioterapeuta e pós-graduada Thalita VP, em ensaio - Reprodução / Internet
A modelo, fisioterapeuta e pós-graduada Thalita VP, em ensaio Imagem: Reprodução / Internet
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

15/09/2020 00h09

O mundo se tornou digital e as publicações impressas a cada dia perdem mais e mais espaço na mídia, mas a modelo Thalita Vieira de Paula vai na contramão: ela está numa campanha para ressuscitar a revista "Sexy" em papel.

Depois de posar para o site, Thalita VP, como é conhecida, iniciou uma campanha para lançar seu ensaio também em papel.

A "vaquinha" de Thalita já arrecadou mais de R$ 6.000 até hoje.

Fisioterapeuta, antropometrista (pessoa que estuda as medidas e dimensões das diversas partes do corpo), ela tem pós-graduação em "bodybuilder" e já está em sua segunda graduação, agora em nutrição.

Thalita, 36 anos, também foi uma das participantes do reality show de Juju Salimeni no canal pago E!, o "Juju Bootcamp". Dali surgiu o convite para posar no site da "Sexy".

"Eu topei fazer a 'vaquinha' depois de posar no digital. Como modelo eu acho importante ter isso também no impresso, resgatar essa coisa da revista impressa", disse à coluna.

Apesar da iniciativa, ela está desesperançosa. O motivo é o mesmo que já aflige há anos a TV por assinatura e agora também o streaming: a pirataria.

"Não está sendo fácil. Eu tive cerca de 150 apoiadores, mas a pirataria é o grande problema. O pessoal não investe, prefere esperar a pirataria das fotos na internet", afirma.

"Isso é uma parte da crise econômica", afirma. "Ninguém está rasgando dinheiro. O cara colabora, dá, sei lá, R$ 20 reais na vaquinha e depois ele descobre que as fotos estão na internet. É muito complicado", diz a modelo.

Thalita diz que jamais colocaria todos os ovos numa só cesta. Longe dos estúdios, da nudez artística e das câmeras, ela se mantém atuando como "coach esportiva" e antropometrista.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL