PUBLICIDADE
Topo

Ricardo Feltrin

Danni Suzuki revela por que perdeu papel na Globo e revolta Antonelli

Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

31/08/2020 00h18Atualizada em 31/08/2020 17h07

Após quatro anos terminou um dos pequenos mistérios da teledramaturgia brasileira: por que, afinal, Daniele Suzuki perdeu o papel principal na novela "Sol Nascente", da Globo (exibida entre agosto de 2016 e março de 2017)?

Em entrevista à também atriz Bruna Aiiso, Danni Suzuki falou sobre o assunto publicamente pela primeira vez. A entrevista foi feita cerca de 11 semanas atrás, mas viralizou neste domingo (30).

Embora não diga isso, na entrevista Suzuki deixa claro que na verdade não lhe tiraram um, mas dois papéis que ela teria na trama (a Globo nega que isso tenha ocorrido, leia nota oficial no final do texto).

Primeiro a excluíram como a protagonista (Alice Tanaka) da novela para dar seu lugar à mulher do diretor da trama, Leonardo Nogueira (Giovanna Antonelli, que interpretou uma garota brasileiríssima adotada por uma família asiática).

Depois Dani perdeu o segundo papel: ela inicialmente seria prima de Alice (a personagem Yumi).

A alegação para tirá-la desse papel foi que a atriz era "velha demais" para ser a personagem de prima da Alice Tanaka.

Só um detalhe: na vida real Danni Suzuki, 42 anos, é mais nova que Antonelli (44 anos).

No lugar de Danni Suzuki a Globo acabou escalando às pressas Jacqueline Sato.

"Walter Negrão (autor) escreveu e construiu o papel em cima da minha vida real", conta Dani na entrevista.

Ela disse também estranhar a falta de atores e atrizes orientais nas tramas da Globo.

"Isso é por falta de ator? Não é, porque está cheio de gente boa (asiática) aí", disse.

E completou com uma revelação:

"O diretor (Leonardo Nogueira) disse que eu estava velha para ser a prima da Giovanna. Aí ele falou que estava escrevendo (o que seria) o terceiro personagem pra mim, e aí eu falei: Quer saber? Deixa. Não quero fazer a novela, deixa para lá. Não tem espaço para mim nessa história."

Mesmo sendo sua a história.

Nogueira é marido de Antonelli desde 2009.

Dani declarou na entrevista que a decepção foi tão grande que ela decidiu deixar a Globo e buscar outros rumos na carreira.

"Decidi buscar outro caminho, mas não no papel de vítima."

"A escolha deles (Globo) não era compatível com as minhas. Eu usei aquilo para me impulsionar e pra mim aquilo foi um presente; comecei a mergulhar na questão dos refugiados, tirei tempo livre para dirigir o meu documentário." (a atriz faz uma série sobre crianças refugiadas e desacompanhadas pelo mundo).

Outros lados

A coluna procurou a Globo para comentar as declarações da ex-funcionária. Eis a nota enviada na tarde desta segunda-feira:

"Desconhecemos as informações prestadas. Os critérios de escalação das obras da Globo são técnicos e artísticos. São avaliados vários aspectos, como adequação ao perfil do personagem, disponibilidade do elenco, composição total do casting, dentre outros.

E essa decisão não cabe apenas a um profissional e sim a um time, composto por autor, diretores e diretoria de Entretenimento da empresa. Assinado: Central Globo de Comunicação."

Em post no Instagram, a atriz Giovanna Antonelli se mostrou revoltada com a inclusão de seu nome na história.

"Jamais disputei ou troquei papel com esta atriz, na minha carreira. Colocar meu nome nesta situação é vergonhoso", desabafou.

Em 2016, a jornalista Fabíola Reipert, da Record, já havia publicado que Antonelli havia "mandado" o marido tirar Suzuki do elenco da então novela das 18h30.

Segundo Reipert, a atriz também teria pedido para outra atriz (Luma Costa) mudar o cabelo porque ele estaria muito parecido com o "modelo" que ela usaria.

Nos bastidores, à época, muita gente chegou a reclamar de Antonelli porque ela havia dado bastante "trabalho" para a produção da novela desde sua chegada.

A entrevista da atriz e agora diretora está na primeira temporada da live "Brasileiros com Bruna Aiiso", que está disponível no IGTV e no canal de Bruna no YouTube.

Nessa série, Bruna entrevista artistas brasileiros com ascendência asiática. Já foram entrevistados 42 artistas de diversas áreas.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL