PUBLICIDADE
Topo

Por "quarentena", Sexy Hot abre sinal e libera exibição de filmes

Um dos filmes do acervo da Sexy Hot - Divulgação/Grupo Playboy
Um dos filmes do acervo da Sexy Hot Imagem: Divulgação/Grupo Playboy
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

20/03/2020 11h52

O canal erótico Sexy Hot disponibilizou para os usuários 10 filmes por causa da "quarentena" causada pelo coronavírus.

Considerado o maior canal adulto do país, os 10 filmes são produções que ficarão liberadas por tempo indeterminado.

Além desses o canal liberou ainda mais nove produções de longa e curta duração no serviço on-demand de todas as operadoras de TV paga.

Segundo a diretora-geral do Grupo Playboy, Cinthia Fajardo, é uma forma de "colaborar com a permanência das pessoas em casa, oferecendo mais opções de entretenimento e conteúdo de qualidade."

Segundo ela, é preciso "estar afinado com as necessidades e o bem estar do nosso público".

Para facilitar a procura de forma rápida e prática dos filmes, o canal criou a categoria "Fique em Casa" nas duas plataformas.

Explosão na demanda erótica

Como esta coluna informou ontem com exclusividade, o consumo de produções eróticas explodiu no Brasil após o coronavírus e a necessidade de confinamento das pessoas.

O maior site pornô do Brasil, Brasileirinhas, dobrou o volume de assinaturas do serviço desde a última segunda.

O Pornhub, outro site internacional pornô, liberou seu acesso premium para todos os italianos, em uma medida para ajudar a distrair as pessoas que são obrigadas a ficar em casa. A Itália já é o país com maior número de mortes devido ao coronavírus.

Ricardo Feltrin no Twitter, e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL