PUBLICIDADE
Topo

Ator Maurício Mattar tem título protestado por dívida de R$ 62 mil

Mauricio Mattar no "Programa da Tarde", da Record, em 2013 - Reprodução/Record
Mauricio Mattar no "Programa da Tarde", da Record, em 2013 Imagem: Reprodução/Record
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

16/03/2019 07h02

O ator e cantor Maurício Mattar teve esta semana um título protestado no 10º Cartório de Notas de São Paulo, no valor de R$ 62.618,92.

O dinheiro se refere a uma indenização não paga pelo artista a Rodrigo Antonio Martins de Matos. Mattar atropelou e agrediu Rodrigo após um acidente de trânsito ocorrido 20 anos atrás.

Testemunhas comprovaram a agressão durante o processo

Em 2015, conforme esta coluna publicou com exclusividade à época, o Tribunal de Justiça de São Paulo já havia determinado a penhora de carros de Mattar, hoje ator da Record, em decisão na qual não cabia mais recurso.

Mesmo assim nenhum carro foi apreendido desde então.

Nas últimas duas décadas, Rodrigo Matos, ex-motoboy, venceu a ação judicial em diversas instâncias, mas nunca viu um centavo. A Justiça jamais conseguiu fazer o artista cumprir suas decisões.

Segundo a coluna apurou, a defesa de Matos estuda agora uma medida para pedir embargo de parte dos pagamentos de Mattar na Record.

Isso porque ele está escalado para a próxima novela da Record, "Topíssima".

Desde 2015 a coluna tem tentado ouvir a versão de Mattar ou seus representantes sobre o ocorrido, mas nunca obteve resposta.

O que aconteceu

O caso ocorreu no dia 1º de Maio de 1999, um sábado, por volta das 23h, em São Paulo. Está descrito no enorme processo praticamente arquivado na Justiça paulista.

Rodrigo estava trabalhando até pouco antes e voltando para casa, quando foi atingido pelo carro de Maurício Mattar.

Após atropelar o então motoboy, em vez de ajudá-lo, o ator desceu de seu carro e passou a agredi-lo, ainda no chão, com chutes e socos.

O ator foi flagrado não só por testemunhas, mas até por policiais: durante mais de dez minutos espancou o motoboy no chão e só parou com a chegada da polícia.

Rodrigo sofreu uma fratura num dedo, passou cinco meses e 15 dias sem trabalhar e nem teve direito a INSS, pois, como quase todo motoboy à época, não era registrado.

O ator --e agressor-- jamais sofreu qualquer punição. Nem na esfera criminal e nem na cível.

Hoje desempregado, Rodrigo vê seu caso como uma espécie de "padrão" no país da impunidade, mas ainda fala de forma humilde.

"O meu caso não é nada perto de gente que perde uma perna, um braço, fica cega devido a agressões."

Nas próximas semanas, Mattar, 54 anos, interpretará seu terceiro papel numa novela da Record, "Topíssima". No ano passado fez breve participação como Joaquim, pai de Maria, na novela "Jesus".

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL