PUBLICIDADE
Topo

Record rompe acordo e tira profissionais do SBT; Silvio Santos vai retaliar

Thiago Nolasco, ex-repórter e âncora ocasional do SBT, foi contratado pela Record - Reprodução / YouTube SBT
Thiago Nolasco, ex-repórter e âncora ocasional do SBT, foi contratado pela Record Imagem: Reprodução / YouTube SBT
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

15/02/2019 10h26

Há quase 20 anos Record e SBT tinham um acordo de cavalheiros que foi selado verbalmente entre Silvio Santos e Edir Macedo. 

O acordo era o seguinte: SBT e Record concordavam em nunca tirar profissionais televisivos com contratados ou com contrato em validade da concorrente.

O acordo foi feito mais de 20 anos atrás. Tudo começou quando Silvio Santos tirou Ratinho da Record (e pagou uma multa milionária por isso mais tarde).

Edir Macedo revidou e à época tentou tirar todo o elenco de "A Praça É Nossa do SBT".

Não conseguiu, mas isso aproximou os dois donos de TV e eles decidiram fazer um acordo de cavalheiros. Esse acordo desde então já foi quebrado três vezes, e todas pela Record.

Veja também:

Silvio Santos manda SBT deixar Rebeca "à vontade" em programas

Em 2017, Boechat disse não ao SBT para não prejudicar Band

A primeira, quando tirou Gugu Liberato do SBT, em 2008; a segunda quando, na semana passada, a Record assediou e tirou do SBT Thiago Nolasco, o repórter responsável por seguir os passos do presidente Jair Bolsonaro.

O pior, porém, segundo fontes ouvidas pela coluna no SBT ontem e hoje, a Record estaria ligando para outros repórteres e editores, chamando-os para conversar e até, supostamente, com ofertas prontas para alguns. 

Um dos primeiros efeitos que esse tipo de assédio concorrente causa é inflacionar a folha de pagamentos do SBT. Porque a emissora muitas vezes acaba "cobrindo" a oferta que o profissional recebeu da concorrente.

Foi justamente o respeito a esse acordo mútuo que fez com que Silvio Santos não tivesse contratado Luiz Bacci no mês passado, que estava com o contrato vencendo.

A atitude da Record, porém, enfureceu toda a cúpula do SBT e Silvio já foi informado em suas férias, em Orlando, de tudo que está acontecendo.

A ordem de Silvio veio dos EUA: é para retaliar, fim do acordo. 

Os emissários do SBT ganharam com passe livre para assediar jornalistas e estrelas da Record a partir de agora. 

A pedido da fonte do SBT ouvida sob sigilo, a coluna vai omitir os nomes dos profissionais da Record que serão alvo de propostas da emissora.

A guerra da TV aberta recomeçou, e com força total.

Leia mais sobre TV:

SBT confirma novo talk-show com Maisa Silva; coluna antecipou

Silvio apressa fim de "Carrossel" e compra série de 1.000 capítulos

Colunista Ricardo Feltrin no TwitterFacebook e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL