PUBLICIDADE
Topo

"Para ter restaurante não basta ser famoso", diz chef Bertolazzi

Carlos Bertolazzi, chef e apresentador do SBT - Manuela Scarpa/Brazil News
Carlos Bertolazzi, chef e apresentador do SBT Imagem: Manuela Scarpa/Brazil News
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

22/09/2018 12h33

Carlos Bertolazzi acha que 2018 está sendo um grande ano para sua(s) carreira(s): chef, empresário e apresentador do SBT.

Em janeiro seu restaurante, o Zena, completará 10 anos. Ele ainda tem cinco unidades da Casa Bertolazzi, para eventos e festas de 15 anos, e que começa ainda este ano a abrir franquias em parceria com o Grupo Planeta.

Ao contrário de outros chefs e apresentadores de TV, como Jamie Oliver, Bertolazzi diz que todos seus negócios hoje são lucrativos.

Para ele, o que ocorreu com o colega britânico --que anunciou que está fechando e perdendo milhões com seus restaurantes--, é “possivelmente” um caso raro de “descontrole em suas holdings”, mas diz desconhecer a causa.

No entanto, acredita que as unidades de Oliver no Brasil não devem ser afetadas.

“Aqui os sócios (de Oliver) são extremamente competentes e profissionais”, diz. “Porque não basta ser famoso e ter comida boa para manter restaurante aberto”, afirma. “Tem que ter gestão.”

Na TV, o chef trabalha como apresentador do “Fábrica de Casamentos”, “BBQ Brasil” (ao lado de Chris Flores e Daniele Dahoi) e do quadro “Minha Mulher Que Manda”, no programa “Eliana”, todos do SBT.

Veja trechos da entrevista a seguir:

Na sua opinião, como é que um cara famoso, rico e influente como Jamie Oliver poder perder milhões de dólares com restaurantes?

Carlos Bertolazzi - Não basta ser famoso e ter comida boa pra manter um restaurante aberto. Pra isso é preciso ter uma boa gestão. Existem restaurantes com excelente comida e sem gestão que fecham; e existem restaurantes ruins com boa gestão que se mantêm abertos.

Pode ter sido erro de gerenciamento, um caso de megalomania ou o quê?

Bertolazzi - No caso do Jamie Oliver, aparentemente, pelo que foi noticiado, ele parece ter sido pego de surpresa, algum descontrole em sua holding que desconheço as causas.

E enquanto as coisas parecem não estar nada bem lá fora, aqui no Brasil eles acabam de abrir um novo restaurante em Curitiba. Conheço os sócios daqui, extremamente competentes e profissionais e excelentes gestores de restaurantes.

Minha opinião é que, quando diversificamos a carreira e passamos a atuar em diversos segmentos, torna-se necessário trabalhar sempre com gente de confiança, competente, pois seu maior ativo, seu nome, a sua marca estão envolvidos.

Espero que Oliver consiga reverter essa situação pois é um grande profissional tanto na TV quanto pra gastronomia.

Quantas casas você tem hoje? Todas são lucrativas?

Bertolazzi - Hoje, além do Zena, que completa 10 anos em janeiro e nunca recebeu um aporte de capital, abri, em parceria com o Grupo Planeta, o Casa Bertolazzi, espaço de eventos para casamento e festas de 15 anos que já conta com 5 unidades e começa a ser franqueado para todo o Brasil a partir desse ano.

E na TV, como vão as coisas?

Bertolazzi - Na TV estou muito feliz. 2018 foi um ano que consolidamos o "Fábrica de Casamentos” no horário, conquistando a vice-liderança até nas reprises.

Também estou no quadro “Minha Mulher que Manda”, do “Programa Eliana”, que, além da excelente audiência, está sendo um sucesso de crítica e acabou de estrear sua segunda temporada.

E ainda voltei ao BBQ Brasil que também começou com o pé direito atingindo o melhor ibope de estreia das 3 temporadas.

LEIA MAIS

"Dinheiro simplesmente acabou", diz chef e apresentador Jamie Oliver

Reality com Chris Flores e Bertolazzi faz SBT crescer 35% no ibope

Colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL