PUBLICIDADE
Topo

Roger Waters declara apoio a candidato de esquerda no Chile e convoca população às urnas

Roger Waters pediu para população votar em Boric no segundo turno das eleições do Chile - Leo Caobelli/UOL
Roger Waters pediu para população votar em Boric no segundo turno das eleições do Chile Imagem: Leo Caobelli/UOL

Em Santiago

01/12/2021 07h39

O cofundador da banda Pink Floyd Roger Waters convocou todos os eleitores do Chile a irem às urnas no segundo turno das eleições presidenciais do país sul-americano, marcado para 19 de dezembro, e declarou apoio a Gabriel Boric, de esquerda, contra José Antonio Kast, de extrema direita.

"Irei direto ao assunto porque no dia 19 de dezembro vocês terão o segundo turno das eleições presidenciais. Os votos poderiam ir para o Sr. Kast, então precisamos que os eleitores de Boric também saiam para votar", declarou o baixista da icônica banda britânica em vídeo publicado nas redes sociais.

Esta é a primeira vez desde o fim da ditadura de Augusto Pinochet, em 1990, que os dois candidatos do segundo turno não fazem parte das duas grandes coalizões tradicionais que governaram o Chile durante os anos 90 e as duas primeiras décadas do século 21.

"Por favor, a todas as mães e pais, tios e tias, avós e avôs e as boas pessoas, as boas pessoas do Chile, vocês devem ir e votar em 19 de dezembro", afirmou Waters em um vídeo postado nas redes sociais, apontando especialmente para aqueles que se abstiveram de votar no primeiro turno das eleições gerais.

"Todos vocês (apontando para um gráfico mostrando 54% de abstenção) e vocês (apontando para aqueles que votaram em Boric) têm que se unir em 19 de dezembro", completou.

Boric é deputado e lidera uma coalizão que inclui a Frente Ampla, um grupo progressista com menos de cinco anos de formação, e o Partido Comunista. O ex-líder sindical tem um programa que visa um estado social de estilo europeu, com forte influência feminista e ambientalista.

Nos últimos dias, recebeu o apoio de todo o espectro político da oposição, incluindo o Partido Liberal e a Democracia Cristã.

Enquanto isso, Kast defende o modelo neoliberal instalado durante a ditadura militar, que durou de 1973 a 1990, com um forte discurso anti-imigração e conservador sobre os direitos sociais. Ele é apoiado por membros do atual governo, liderado por Sebastián Piñera.