PUBLICIDADE
Topo

Partido evangélico mexicano denunciará gestor de redes por mensagens pró-LGBT

17/06/2021 21h54

Cidade do México, 17 jun (EFE).- O Partido Encontro Solidário (PES) do México, de natureza evangélica, informou nesta quinta-feira que denunciará seu gestor de mídias sociais depois que mensagens em favor da comunidade LGBT e do casamento igualitário forem veiculadas por horas no Twitter e no Facebook da legenda.

"Amor é amor" foi a mensagem postada na tarde de quarta-feira no Twitter do PES, acompanhada por uma bandeira de arco-íris e as hashtags #BajaCalifornia e #Sinaloa, estados mexicanos onde o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi aprovado esta semana.

Esta mensagem a favor do coletivo de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais bate de frente com a frase conservadora postada no último dia 2 de junho na mesma página do PES: "Compromisso com a vida. É um direito fundamental, inalienável e indescritível e deve ser protegido desde o momento da concepção até a morte natural não induzida".

Durante horas, várias mensagens foram publicadas nesta página e retweetadas milhares de vezes em favor da comunidade LGBT.

"Teremos mais curtidas do que votos, por um México para todas e todos", disse o PES "hackeado" em suas últimas mensagens, antes de mudar seu logotipo e adicionar as cores do arco-íris.

Além disso, algumas mensagens denunciaram que o partido deve "meses" de salário aos gestores de suas redes e garantiram: "Não é um ataque hacker, é justiça".

O PES BUSCA "JUSTIÇA".

Em um comunicado publicado na madrugada desta quinta-feira, o PES negou que as contas oficiais do Twitter e do Facebook tenham sido "sequestradas", supostamente por falta de pagamento ao gestor de conteúdo.

"É totalmente falso, já que todos os compromissos adquiridos foram finalizados em tempo hábil", disse o PES, que está prestes a perder seu registro como partido por não ter obtido votos suficientes nas eleições de meio de mandato de 2021.

"Perante esta situação, o PES irá às autoridades judiciais correspondentes para apresentar queixas criminais contra os responsáveis, bem como contra quem controla a gestão das redes sociais dos PES", destacou o comunicado.

Nas eleições de 2018, o PES - antigo Partido do Encontro Social - aliou-se ao Partido Trabalhista e ao Movimento Nacional de Regeneração (Morena) de Andrés Manuel López Obrador, que então conquistou a presidência.

Essa coalizão foi muito criticada pelas alas mais conservadoras do PES, que inicialmente se chocaram com a ideologia de esquerda dos outros dois partidos.

Nas eleições de meio de mandato do último dia 6 de junho, o PES obteve menos de 3% dos votos, razão pela qual perderá seu registro e não poderá concorrer nas eleições presidenciais de 2024.