PUBLICIDADE
Topo

Victoria's Secret paga US$ 8,3 milhões em indenização a trabalhadoras tailandesas

28/05/2022 08h36

Bangcoc, 28 Mai 2022 (AFP) - Mais de 1.000 trabalhadoras tailandesas demitidas de uma fábrica de sutiãs da marca de lingerie americana Victoria's Secret receberam uma indenização total de US$ 8,3 milhões, anunciaram neste sábado (28) os defensores dos direitos dos trabalhadores.

A Brilliant Alliance Thai fechou sua fábrica em Samut Prakan, ao sul de Bangcoc, em março de 2021, após falir. Mas os 1.250 trabalhadores demitidos - muitos dos quais trabalhavam na fábrica há mais de uma década - não receberam as indenizações exigidas pela lei tailandesa.

A fábrica também produzia roupas íntimas para as marcas americanas de roupas plus size Lane Bryant e Torrid, de propriedade do fundo Sycamore Partners, mas apenas a Victoria's Secret contribuiu financeiramente para este acordo.

Em comunicado, a marca de lingerie confirmou a assinatura de um acordo cujo valor não especificou.

"Há vários meses estamos em contato com os donos da fábrica para encontrar uma solução. Lamentamos que eles não tenham conseguido resolver esse assunto sozinhos. A Victoria's Secret concordou em adiantar os fundos para os proprietários da fábrica", especificou a marca em seu comunicado.

Contatada pela AFP, a Sycamore Partners não quis comentar.

Segundo a organização internacional de defesa dos direitos dos trabalhadores Solidarity Centre, este acordo é o mais importante já celebrado por uma fábrica de vestuário por falta de pagamento do trabalho realizado.

Há um ano, essas trabalhadoras demitidas e representantes sindicais tailandeses protestam do lado de fora da sede do governo em Bangcoc para obter a devida compensação.

lpm/oho/axn/juf/LyS/mab/zm/aa