PUBLICIDADE
Topo

Mulher processa rapper Chris Brown por estupro

28/01/2022 21h33

Los Angeles, 29 Jan 2022 (AFP) - Uma mulher entrou com um processo nesta quinta-feira, em Los Angeles, contra o rapper Chris Brown, acusando o mesmo de tê-la drogado e estuprado em Miami, informaram os advogados da demandante nesta sexta-feira.

A mulher, que, segundo o processo, é uma artista, coreógrafa e dançarina profissional residente em Los Angeles, afirma que Brown a drogou com uma bebida durante uma reunião em um iate na casa do músico Diddy, em dezembro de 2020, e depois a estuprou.

Os advogados da artista pedem uma indenização de US$ 20 milhões por "danos emocionais". "Os eventos traumáticos que a demandante experimentou são chocantes e deveriam horrorizar a todos", diz o processo.

De acordo com os documentos, Brown convidou a mulher para a casa de Diddy em Miami. Ao chegar, aceitou algumas bebidas do rapper, após o que se sentiu "desorientada, fisicamente instável e começou a se sentir sonolenta". A mulher afirma que Brown a levou para um quarto, onde tirou a sua roupa e a estuprou.

Brown, 32, não se pronunciou diretamente sobre as acusações, mas comentou em seu Instagram. "Espero que todos observem esse padrão", escreveu. "Sempre que lanço músicas ou projetos, 'ELES' tentam procurar verdadeiras bobagens."

O artista americano, descoberto na adolescência, é conhecido tanto por sua música quanto por seus problemas legais. Ele foi denunciado em 2019 por outra mulher, que também o acusava de tê-la estuprado.

Em 2009, Brown foi considerado culpado de agredir a cantora Rihanna, sua então namorada, e condenado a cinco anos de liberdade condicional. Em 2014, declarou-se culpado de ter agredido um fã em Washington, e em 2016 foi acusado de agredir uma mulher em Las Vegas e outra em Los Angeles.

pr/ag/lb