PUBLICIDADE
Topo

Guatemala recupera uma estela maia que estava prestes a ser leiloada em 2019

25/10/2021 13h35

Paris, 25 Out 2021 (AFP) - Uma estela maia, do sítio Piedras Negras, foi entregue nesta segunda-feira (25) à Guatemala, em cerimônia na sede da Unesco em Paris, depois que seu leilão foi interrompido em 2019 devido a uma exigência deste país.

A peça arqueológica, chamada de estela número 9, desapareceu da Guatemala nos anos 1960 - durante a guerra civil no país centro-americano - e foi comprada em 1963 em Paris por Manichak e Jean Aurance, um casal de colecionadores.

Em setembro de 2019, após a morte do marido, Manichak Aurance leiloou sua coleção de mais de 120 objetos de arte pré-colombiana, nos quais havia peças de vários países latino-americanos como México, Peru, Equador e Guatemala.

No caso da Guatemala, as fotografias da estela tiradas em sua descoberta em 1899 foram preservadas, então esta peça foi retirada do leilão.

Por meio da mediação da França e da Unesco, Manichak Aurance optou por devolver voluntariamente a obra para a Guatemala.

"A entrega voluntária deste fragmento mostra a importância da Convenção da Unesco de 1970 na luta contra o tráfico de bens culturais", explicou durante a cerimônia Audrey Azoulay, diretora-geral da organização.

O embaixador da Guatemala na França, Francisco R. Gross Hernández-Kramer, quis ressaltar que esta volta coincidiu com o bicentenário da independência do país.

Para Gross Hernández-Kramer: "A Guatemala, e toda a humanidade, recuperam hoje parte de sua história".

Esta estela maia, em calcário e com cerca de 50 centímetros de altura por 5 de largura, é a parte superior do penteado do governante 4 de Piedras Negras, que chegou ao poder no ano 780 da era cristã.

grp/mb/ap