PUBLICIDADE
Topo

Macron inaugura em Paris o Arco do Triunfo empacotado, 'sonho louco' de Christo

16/09/2021 16h46

Paris, 16 Set 2021 (AFP) - O presidente francês, Emmanuel Macron, inaugurou nesta quinta-feira (16) a embalagem impressionante de um dos monumentos mais emblemáticos de Paris, o Arco do Triunfo, obra póstuma do artista Christo, falecido em 2020.

O 'pacote' consiste em 25.000 m2 de tecido de polipropileno reciclável, que ganha tons azulados sob o sol, preso ao monumento por 3 km de cordas na cor vermelha.

Trata-se da obra póstuma de Christo (1935-2020) e de sua companheira, Jeanne-Claude (1935-2009), e foi executada pelo sobrinho do artista, Vladimir Yavachev.

"Pensamos em Christo e Jeanne-Claude. Teriam ficado muitíssimo emocionados (...) porque esta é a concretização de um sonho de 60 anos", disse o presidente francês em um discurso no terraço do monumento, na presença da prefeita de Paris, Anne Hidalgo, e do ex-prefeito de Nova York, Michael Bloomberg.

"Era um sonho louco e você o realizou, Vladimir. Muito obrigado", acrescentou Macron, que chegou ao local pouco após às 17h locais, acompanhado da esposa, Brigitte.

O público poderá visitar a obra a partir de sábado. A grande praça ao redor do monumento, um dos pontos de referência mais importante da cidade, será fechada ao trânsito nos fins de semana até 3 de outubro, quando o pacote será desfeito.

"É um presente formidável para os parisienses, para os franceses e, além disso, para todos os amantes da arte", disse Bachelot.

"Christo sempre dizia que a parte mais difícil era conseguir as permissões", recordou Yavachev em entrevista coletiva de apresentação da obra. Mas desta vez a autorização veio de forma inesperadamente rápida, a partir da concepção do projeto em 2017, afirmou o executor do "Arco do Triunfo, empacotado".

A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, explicou que a experiência prévia da cidade com Christo, quando ele empacotou em 1985 a Pont Neuf, foi decisiva para autorizar esta nova aventura artística.

O projeto da Pont Neuf, uma das pontes que cruzam o rio Sena, "foi uma maneira de despertar esta cidade", afirmou Hidalgo.

O Arco de Triunfo, que começou a ser construído em 1806, durante o regime de Napoleão, reúne em suas fachadas e colunas as vitórias do então imperador, e sob as colunas está o túmulo do soldado desconhecido, com uma chama que é acesa todas as noites.

O público poderá aproximar-se e tocar a obra, e a chama continuará sendo acesa a cada noite, disse Hidalgo.

Com um custo de 14 milhões de euros (US$ 16,5 milhões), o projeto foi totalmente autofinanciado com a venda de obras da Fundação Christo, afirmou Yavachev.

Christo chegou no início dos anos 1960 a Paris, depois de fugir da ditadura comunista em seu país. Na capital francesa conheceu Jeanne-Claude, e de seu sótão conseguia contemplar a cada dia o Arco do Triunfo, recordou o sobrinho. Imediatamente começou a sonhar com o projeto, que precisou de quase 60 anos para virar realidade.

jz/mar/fp/mvv