PUBLICIDADE
Topo

Em Gana, as igrejas apostam no digital para enfrentar a pandemia

07/05/2021 14h18

Acra, 7 Mai 2021 (AFP) - Missa online, arrecadação por meio de pagamento móvel ou funerais em 'streaming'. Em Gana, um país da África Ocidental tão jovem quanto religioso, a pandemia mudou as práticas das igrejas, cada vez mais numerosas nas apostas no digital.

Cerca de 71% da população de Gana é cristã, principalmente pentecostal ou evangélica.

"Seguimos estritamente as medidas" contra a pandemia, "mas a covid-19 afetou muito o movimento na nossa paróquia", lamenta o reverendo Kofi Oduro Agyeman-Prempeh.

O país registrou oficialmente pouco menos de 100.000 casos de coronavírus e 779 mortes.

"Os números nacionais são baixos, mas o medo de contágio ainda é muito presente. Durante a missa, os fiéis hesitam antes de se levantar, dançar e cantar", explica.

Para tranquilizar os fiéis, o reverendo registrou seu centro religioso no Asoriba, um aplicativo que conecta os fiéis e sua igreja. Cerca de 2.500 estabelecimentos estão cadastrados nesta plataforma.

Desde 2015, oferece aos pastores e reverendos instrumentos para organizar eventos paroquiais, controlar a assistência à missa e comunicar-se com os fiéis. Desde a chegada da covid-19, em março de 2020, os registros aumentaram 30%.

"É inegável que o futuro será digital, incluindo o futuro das práticas religiosas", disse Savior Kwaku Dzage, um dos co-fundadores do Asoriba.

Para os fiéis conectados, o Asoriba permite oferecer contribuições online.

"Mesmo em tempos de covid, a igreja precisa de dinheiro para se desenvolver e ajudar os mais necessitados. E como o dinheiro é considerado um potencial vetor de contágio, o pagamento online é a solução perfeita", explica o empresário.

- Funerais em streaming -Embora a maioria dos ganenses não tenha acesso à internet, grande parte da população tem menos de 30 anos e a taxa de acesso digital acelerou nos últimos anos, de 23,5% em 2015 para 55,6% em 2020.

É por isso que o reverendo Banister Tay, chefe de operações da empresa de funerais Transitions, não quer perder a digitalização.

Os enterros ganenses são famosos em todo o mundo por suas cerimônias suntuosas, apresentando música, canto e dança tradicionais. Mas, com a pandemia, tiveram que ser reduzidos ao mínimo, com uma presença limitada primeiro a 100, depois a 25.

"Foi muito difícil para nós", diz Banister Tay. "Era preciso oferecer uma solução, atendê-los virtualmente". Assim, desde 2018, a Transitions propõe um serviço de 'streaming' para funerais.

"Quando a covid chegou, já tínhamos uma vantagem", diz Banister Tay. "Antes da pandemia, apenas 1% de nossos clientes usavam nossos serviços de streaming, mas agora eles estão perto de 90%", explica ele.

Durante o funeral, três câmeras filmam a cerimônia, enquanto uma quarta fica do lado de fora para capturar imagens dos recém-chegados.

Banister Tay está otimista sobre o futuro e acredita que os funerais online perdurarão depois que as restrições contra a pandemia forem suspensas.

"Uma parte importante do nosso público são membros da diáspora. Muitos ganenses vivem no exterior e não podem voltar sempre que perdem um parente. Também pensamos nessa solução para eles", afirma.

str/cma/sba/me/tjc/ap