PUBLICIDADE
Topo

Morre aos 35 anos coreógrafo britânico Liam Scarlett, acusado de assédio

17/04/2021 12h11

Londres, 17 Abr 2021 (AFP) - O bailarino e coreógrafo britânico Liam Scarlett, considerado uma estrela do Royal Ballet de Londres até ser acusado de assédio sexual, faleceu aos 35 anos - anunciou sua família neste sábado (17).

"Com grande tristeza, anunciamos a trágica e prematura morte do nosso querido Liam", declarou a família, em um comunicado.

"Nestes difíceis momentos para a família, pedimos que se respeite nossa vida privada para que possamos fazer nosso luto", acrescenta a nota.

A causa da morte não foi informada.

O anúncio do falecimento do artista, de carreira brilhante, acontece um dia depois de o Royal Theater dinamarquês decidir cancelar as representações de seu balé "Frankestein", devido a "comportamentos ofensivos".

Liam Scarlett foi bailarino no Royal Ballet de 2006 a 2012 e, depois, deixou os palcos. A instituição criou para ele o posto de artista residente.

Considerado um menino prodígio do balé britânico, teve uma brilhante carreira como coreógrafo, com uma muito bem-sucedida versão de "O lago dos cisnes", em 2018.

No verão de 2019 (inverno no Brasil), porém, foi suspenso do Royal Ballet por uma investigação de assédio sexual aberta contra ele. Meses depois, a investigação concluiu que não havia provas suficientes para continuar, mas a instituição encerrou suas colaborações com ele.

Segundo o Times, ele foi acusado de fazer comentários inadequados sobre os órgãos genitais, de toque sexual, de pedir nus em fotos e de invadir bruscamente os vestiários, quando os alunos estavam trocando de roupa, durante dez anos.

Ainda conforme o Times, o Ballet de Queensland (Austrália) cortou laços com o bailarino, que era associado a esta instituição. Na sexta, foi a vez do Royal Theater dinamarquês anular as apresentações de "Frankestein", citando "comportamentos ofensivos" de Scarlett em 2018/2019.

"O bem-estar e a segurança dos nossos empregados são uma prioridade absoluta para nós. Assim, desejamos não interpretar as obras [de Scarlett] no momento, e cancelamos 'Frankestein' para a primavera de 2022", declarou o diretor da instituição, Kasper Holten, em um comunicado.

cbw-gmo/fb/sg/jvb/eg/tt