PUBLICIDADE
Topo

Dior veste o Palácio de Versalhes com feminismo

08/03/2021 15h29

Paris, 8 Mar 2021 (AFP) - No Dia Internacional da Mulher, a Dior se apresentou no Palácio de Versalhes e colocou suas modelos no Salão dos Espelhos sem que suas imagens fossem refletidas, celebrando assim uma nova liberdade feminina.

Para a Semana de Moda virtual, a diretora artística da Dior, Maria Grazia Chiuri, aliou-se à artista italiana Silvia Giambrone e à coreógrafa israelense Sharon Eyal na reinterpretação deste famoso espaço, símbolo do patriarcado inaugurado pelo rei Luís XIV.

Bailarinos e modelos interagiam com uma estrutura artística de resina, cera e acácia que cobria os imponentes espelhos do palácio, localizado nos arredores de Paris.

"Nos contos de fadas, o espelho é importante para as mulheres, é tanto uma fonte de atração quanto de repulsa", disse Chiuri à AFP.

"Se queremos construir uma identidade própria, não devemos olhar para ela", acrescentou a estilista italiana, uma das figuras feministas mais influentes da moda.

O vídeo da coleção para o próximo outono-inverno lembra o filme "A bela e a fera", de Jean Cocteau, com sua poesia sombria, tão bela quanto angustiante.

Com a covid-19, "o tempo ficou suspenso", explica Chiuri. "É a época das histórias, com florestas encantadas que não vão recuperar suas cores até que a vida renasça".

A pandemia foi um duro golpe para as semanas de moda, privando as empresas do glamour e da visibilidade que costumam ter nas passarelas.

As marcas de luxo agora devem se contentar com apresentações virtuais sem público e dar "amostras de imaginação para despertar desejo" e "esperança", segundo o diretor artístico.

A coleção é rica em golas brancas e babetes bordados, evocando o mundo da infância.

Os vestidos de noite, longos e esvoaçantes, com tules sobrepostos, remetem ao mundo da vida social e às cerimônias com tapetes vermelhos interrompidos pelo coronavírus.

A paleta de cores varia de cinza a vermelho. Do lado de fora do palácio, uma princesa punk caminhava com botas e meias embutidas. Outra usava um vestido de tule bordado com rosas com um efeito rasgado, como se estivesse ferida.

neo-app/tjc/jc