PUBLICIDADE
Topo

Twitter e Facebook administraram 'mal' desinformação com Trump, diz fundador da Wikipedia

14/01/2021 12h45

Londres, 14 Jan 2021 (AFP) - Levados por seu modelo de negócios, Twitter e Facebook administraram "mal" a desinformação durante a Presidência de Donald Trump - afirmou o fundador da Wikipedia, Jimmy Wales, em entrevista à AFP por ocasião do 20º aniversário desta enciclopédia gratuita on-line.

Entrevistado no Reino Unido, onde reside e obteve a nacionalidade em 2019, o americano criticou a atitude desses dois gigantes das redes sociais.

Para ele, a responsabilidade pelo ataque de 6 de janeiro ao Capitólio é "100%" do polêmico presidente dos Estados Unidos, mas o Twitter e o Facebook "tiveram dificuldade em lidar com a desinformação".

"Em relação a Donald Trump, eles fizeram um trabalho ruim por muito, muito tempo", afirmou Wales, enquanto o presidente "claramente difundia desinformação".

Após o atentado em Washington, as duas redes suspenderam indefinidamente as contas do bilionário republicano, que as usava para transmitir a dezenas de milhões de pessoas denúncia - sem evidências - de fraude eleitoral.

- Wikipedia não é perfeita -Vinte anos após sua criação, a Wikipedia é um dos sites mais populares do mundo, consultado mais de 15 bilhões de vezes por mês. Cerca de 55 milhões de artigos aparecem nesta plataforma participativa em mais de 300 idiomas.

Também é, como Gales pensou em sua origem, "um mundo em que cada habitante do planeta tem livre acesso à soma de todo conhecimento humano".

A decisão do fundador da Wikipedia em 2003 de torná-la uma organização sem fins lucrativos é uma das razões pelas quais ele acredita que a enciclopédia on-line não enfrentou as mesmas decisões difíceis e respostas negativas que Twitter e Facebook.

"Eles têm um modelo de negócios que diz 'precisamos do maior número possível de visualizações de página'", diz ele. "E isso também prejudica a marca, então eles têm que resolver isso, mas acho que vai custar caro".

Ao contrário do Facebook e do Twitter, estreitamente associados aos conflitos culturais nos Estados Unidos e à propagação da desinformação pelo mundo, a Wikipedia é considerada um dos últimos e melhores exemplos de utopia nas origens da Internet.

No início dos anos 2000, porém, foram as mentiras e a agressividade dos usuários da Wikipedia que geraram debates sobre a regulação digital.

"Eu sempre digo que nunca fomos tão maus quanto as pessoas dizem, ou tão bons quanto elas pensam", diz Wales. "Sabemos que a Wikipedia não é perfeita. Ainda temos muito trabalho a fazer", reconhece.

- "Opiniões realmente horríveis" -Wales argumenta que a Wikipedia é fundamentalmente diferente das redes sociais.

"Temos uma missão muito clara: criar uma enciclopédia", afirma ele, garantindo que este postulado é "muito diferente de uma rede social que diz, 'publique o que pensa, publique sua opinião', porque a verdade é que muita gente tem opiniões realmente horríveis".

O americano acredita que a Wikipedia ainda tem desafios a superar, entre eles a questão da diversidade dos milhares de "wikipedistas", nome dado a editores e a administradores da web.

Em 2021, a enciclopédia on-line implementará um código de conduta com sanções contra insultos e assédio, que no passado eram dirigidos a minorias.

Sua elaboração "demorou mais do que deveria", admite Wales, mas ele explica que sua comunidade é tão grande "que leva muito tempo para resolver as coisas e conseguir aceitação".

Sua ambição para os próximos 20 anos é bastante similar à dos primeiros 20. Em 2006, Wales estabeleceu para si atingir uma meta de 100.000 entradas da Wikipedia para cada idioma com mais de um milhão de falantes.

"Vamos levar pelo menos mais 20 anos para chegar lá", avisa.

Mas ele espera ter criado uma instituição que pode durar tanto quanto a Universidade britânica de Oxford, que tem mais de 900 anos.

"Estamos realmente concentrando nossos esforços em como construir uma instituição que possa durar", insiste.

csp-acc/bl/tt

FACEBOOK

Twitter