Adriane Galisteu relembra viagem para o Japão com Senna: 'Emocionante'

Adriane Galisteu está curtindo férias com a família no Japão e relembrou sua primeira viagem para Tóquio como Ayrton Senna, em 1993.

O que aconteceu

A apresentadora relembrou que eles não conseguiam passear pelas ruas devido à multidão dos fãs do piloto. "A gente não conseguiu sair do hotel, de tão apaixonado que esse povo era e é por ele, porque eu sinto até hoje isso. Percebo que as pessoas têm interesse de falar do Ayrton, e quando você toca nesse nome, as pessoas ficam emocionadas. Mas tinha uma multidão na porta do hotel e a gente ficou três dias, só. Esses três dias foram dentro do hotel, então eu não posso nem dizer que eu conheci Tóquio. Eu fiquei com vontade de voltar para cá, sabe? Eu olhava da janela e falara para ele: 'Você não tem vontade de dar um rolê?' E ele dizia: 'Tenho, mas como?'. Não tinha como, era uma multidão", disse em entrevista ao perfil Samurai Life, no Instagram.

A artista ressaltou a importância de Senna no Japão: "Na época, o circuito de Fórmula 1 do Japão era muito importante. Ele corria com o motor Honda, então era uma coisa realmente muito emocionante para ele também. Foi uma experiência sensacional poder voltar aqui, agora com meu filho, minha família e retomar esse lugar foi muito bacana. Está sendo sensacional, as férias da minha vida. Eu falo que eu encontrei meu lugar no mundo. É um lugar que eu quero voltar sempre".

Durante quase todos seus anos como piloto na McLaren, Ayrton Senna usava um motor da montadora japonesa Honda, um dos motivos da sua proximidade com o Japão.

Deixe seu comentário

Só para assinantes