Jornais apagam matérias antigas sobre 'suposta amante' de William; entenda

Nos últimos meses, jornais britânicos apagaram ou editaram matérias antigas sobre Rose Hanbury, que foi apontada como suposta amante do príncipe William.

O que aconteceu

Matérias de até cinco anos atrás foram apagadas ou alteradas para remover menções a boatos sobre um romance com William e desentendimentos com Kate Middleton. Veículos relevantes como o Daily Mail, The Guardian e The Sun deletaram ou editaram matérias sobre Hanbury. A reportagem é da revista Vulture.

Entre os conteúdos que foram apagados ou editados, alguns apontavam que Kate e Rose eram "rivais" e davam detalhes da suposta proximidade entre Rose e William. Algumas reportagens, por exemplo, afirmavam que os rumores teriam começado porque Rose jantou uma ou duas vezes com William na ausência de Kate, mas que a princesa sabia e estava contente com a amizade dos dois. Outras diziam que William tentou reconciliar Kate e Rose, sem sucesso.

O jornal The Guardian se manifestou sobre as alterações nas matérias, e negou que tenham sido motivadas por fatores externos. "Essas mudanças foram feitas após decisões editoriais internas, e não após um pedido externo."

A repórter veterana e biógrafa da realeza Anna Pasternak, que também teve uma matéria editada, disse em nota que a reação do príncipe e da princesa "colocou mais lenha na fogueira". Em 2020, após ela afirmar em uma matéria que Hanbury teve um suposto desentendimento com a família real por sua "aparente proximidade" de William, o Palácio se manifestou e afirmou que a publicação era "deturpada e imprecisa".

Não faço ideia do porquê esses trechos foram removidos [da matéria] a mando da família real, porque pareciam inofensivas para mim. [...] A hipersensibilidade envolvendo qualquer coisa relacionada a Rose Hanbury parece aumentar o sentimento de que 'onde há fumaça, há fogo'. Anna Pasternak, em nota à revista Vulture

Deixe seu comentário

Só para assinantes