Conteúdo publicado há 24 dias

Juliette fez releitura de Luiz Gonzaga: saiba a história de 'Pagode Russo'

Juliette, 34, lançou "Vem Galopar", releitura de "Pagode Russo", música de Luiz Gonzaga (1912 - 1989).

Em um vídeo explicando seu novo lançamento, a cantora disse que usou do duplo sentido na releitura, assim como o Rei do Baião fez na canção original.

Pagode Russo?

A música é uma composição de Luiz Gonzaga e João Silva (1935 - 2013). Silva contou que escreveu a letra com Gonzaga após verem dois "europeus" de "saiote e gaita" em uma praia. Segundo disse em entrevista ao documentário "Hoje É Dia de Luiz" (2012), aconteceu o seguinte diálogo:

  • Silva: [...] "Tu já pensou eu e tu, nós dois lá no Sertão com essa sainha?"
  • Gonzaga: "Primeiro que a gente nem entrava na cidade de Exu."
  • Silva: "Pois é. Gonzaga, vamos prestar homenagem a esse povo? Eu já tenho a ideia: pagode russo".

Os homens vistos pelos músicos seriam cossacos, povo originário do sudeste europeu (Ucrânia e Rússia). Os cossacos dançam trepak, ritmo tradicional russo.

A letra de Pagode Russo relata um sonho: Ontem eu sonhei que estava em Moscou/Dançando pagode russo na boate Cossacou

O eu-lírico imagina o cossaco dançando de saia. No último verso, há um duplo sentido entre "cossaco" e "com o saco". De forma clara: o cossaco, mesmo de saia, não fica "com o saco" à mostra.

Continua após a publicidade

Vem cá cossaco, cossaco dança agora/Na dança do cossaco, não fica cossaco fora [com-o-saco-fora].

O povo queria uma coisa alegre para dançar, cantar. O povo vai pro forró, vai ouvir 'Triste Partida' no forró? Para dançar com quem? Com a bisavó? João Silva

"Pagode Russo" se configura como uma canção em tom alegre próprio dos festejos nordestinos. Essa foi a conclusão da mestranda Lilian da Cruz Régis, que realizou uma análise semiótica da música em trabalho apresentado à Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.

Ao anunciar a famosa dança dos cossacos, a música acaba por evidenciar o frevo pernambucano, apontando para uma das principais semelhanças entre as duas danças: os saltos malabarísticos ou o "cai não cai" Lilian da Cruz Régis

Deixe seu comentário

Só para assinantes