Conteúdo publicado há 1 mês

Molejo: quem é Leo Bradock, filho que Anderson teria apontado como sucessor

A treta entre os herdeiros de Anderson Leonardo e o Molejo teria começado quando o grupo recusou que Leo Bradock, filho do cantor, assumisse a posição do pai.

Leo é conhecido no Carnaval do Rio

O primogênito de Anderson Leonardo tem 28 anos. Leo foi criado em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

É mestre de bateria. Desde o Carnaval do ano passado, ele comanda os ritmistas da Lins Imperial, escola da série Bronze do Rio de Janeiro. Ele também já passou pelas baterias da Unidos de Vila Isabel, Acadêmicos do Salgueiro, Beija-Flor de Nilópolis, Imperatriz Leopoldinense, Portela e outras.

Já trabalhou com ícones da música brasileira. Segundo o portal Samba na Intendente, Leo já colaborou com Seu Jorge, Caetano Veloso, Sérgio Mendes, Ivete Sangalo, Benito di Paula, Jota Quest, Fundo de Quintal e o próprio Molejo.

Diz ser músico desde a infância. "Minha primeira memória é no estúdio. Uma criança, dentro de um padrão 'normal', ela tem uma infância de jogar bola de gude, de soltar pipa. Eu cresci, nasci no estúdio. Me lembro de brincar com os instrumentos e meu pai querer tirar da minha mão. 'Para com isso, cara, para de fazer barulho, está bagunçando a gravação. Vai demorar a base por sua causa. Cara, a gravadora está cobrindo, não pode'", disse em entrevista ao jornal Extra no velório de Anderson Leonardo.

Criticou quem quer fama às custas do pai

Leo desabafou após a morte de Anderson. "Essa onda de 'hype' está um nojo! Meu pai precisa descansar, ele foi muito guerreiro, e sustentou centenas de famílias dentro dos seus 41 anos dedicados a sua carreira artística", afirmou.

Um pouco de noção e bom senso, cai bem pra que não sejamos ridicularizados, certo? Não existe 'sucesso' sem trabalho. Leozinho Bradock

Continua após a publicidade

Treta com o Molejo

Membros do grupo não deixaram Leozinho substituir o pai. Segundo o advogado Eduardo Mello, esse era o desejo de Anderson Leonardo.

Agora, os herdeiros de Anderson Leonardo proibiram o grupo de usar o nome 'Molejo'. A proibição impede que novos contratos sejam feitos pelos membros sem a aprovação da empresa criada por Anderson. "[...] Os herdeiros foram informados que os demais integrantes do grupo estão realizando shows sem a devida autorização do efetivo titular da marca. Para agravar a situação, a empresa Molejo Produções e Eventos LTDA está enfrentando dificuldades financeiras, inclusive com dívidas pendentes e salários de funcionários atrasados", diz nota enviada a Splash.

Procurada por Splash, a defesa dos artistas da banda afirmou que terá uma reunião com os clientes e retornará com uma nota oficial. A reunião está marcada para esta quinta-feira (13). Até o momento, ele apenas diz que "será revelada a verdade acerca do assunto".

Deixe seu comentário

Só para assinantes