Conteúdo publicado há 1 mês

Segundo autoridades, cineasta iraniano foi assassinado por jardineiro

No dia 14 de outubro, o diretor cinematográfico Dariush Mehrjui e sua esposa, a roteirista Vahideh Mohammadifar, foram mortos a facadas dentro de sua residência no Irã. Agora, autoridades iranianas apontam um jardineiro como principal responsável pelo crime.

Na quinta (19), a polícia havia prendido um suspeito, mas sem informar maiores detalhes sobre sua identificação. "O principal assassino, que estava entre as pessoas detidas pela polícia, foi identificado após exames da perícia e interrogatórios", informou o comunicado policial.

A Justiça iraniana informa que o principal suspeito é um jardineiro e que o assassinato teve razões financeiras. "O principal suspeito trabalhou como jardineiro na residência de Mehrjui e estava ressentido com ele por questões financeiras", informa as autoridades.

Segundo informações divulgadas pelo Harikandi, o artista devia dinheiro para o jardineiro. O valor equivalia a U$ 600, ou R$ 3 mil na conversão atual.

No total, quatro pessoas foram acusadas pelo crime. Os suspeitos entraram na residência, o jardineiro agrediu e esfaqueou o diretor no pescoço quando ele assistia televisão. Já a esposa foi assassinada em seu quarto, segundo relatos da Justiça iraniana.

Dariush era um dos destaques do novo cinema iraniano, movimento que renovou os filmes do país a partir da década de 1960. Em 1969, dirigiu "A Vaca", filme com o qual recebeu o prêmio do júri no Festival de Veneza em 1971.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes