Conteúdo publicado há 11 meses

Belo e Denilson chegam a acordo após processo que durou mais de 22 anos

Belo e Denílson anunciaram um acordo após a instauração de um processo que durou mais de 22 anos. O músico e o ex-atleta confirmaram a informação, mas não informaram valores em publicações nas redes sociais.

Comentarista da Band entrou na Justiça contra Belo em 2000 após o artista deixar o grupo Soweto. O grupo pertencia ao então jogador da seleção brasileira, que alegou quebra de contrato sem pagamento de multa.

Como homens, adultos e profissionais que somos, era importante colocar fim a esse imbróglio que nos afastava há mais de 20 anos. Hoje, com alegria, damos por encerrado esse assunto.
Escreveram os dois em publicação no Instagram

Denilson cobrou R$ 6 milhões de Belo para o cantor rescindir contrato com o grupo Soweto em 2000. A informação está listada no processo aberto pelo ex-atleta contra o artista na época.

O valor corrigido da multa chegava aos R$ 25 milhões, segundo calculadora disponível no site oficial do Banco Central do Brasil. A taxa de valorização do montante bate 319%, conforme pesquisa realizada no site do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Denilson firmou contrato de quatro anos com o grupo de pagode. Splash teve acesso aos documentos que explicam como foi calculada a multa estipulada para um integrante deixar o conjunto na época.

Contrato estipulava realização de 100 shows por ano. Caso um músico deixasse o Soweto logo no início do vínculo com Denilson, seria necessário arcar com o valor de cachê estipulado (R$ 18 mil na época) multiplicado por 400 — número de apresentações especuladas em contrato. O valor chegaria a R$ 7,2 milhões.

Belo cumpriu 8 meses de contrato. Dessa forma, a multa foi estipulada considerando os três anos e quatro meses restantes de vínculo, reduzindo a multa para R$ 6 milhões. O real valia aproximadamente US$ 1,7 em fevereiro de 2000.

Continua após a publicidade

Denilson também cobrou R$ 300,2 mil legando "perdas e danos". O ex-atleta listou prejuízos com cancelamentos de apresentações após Belo deixar o grupo sem arcar com a multa. Foram adicionados ao processo um relato sobre nove shows agendados que não aconteceram.

Splash entrou em contato com as equipes de Denilson e Belo. Ambos não se posicionaram sobre a multa estipulada em 2000.

Partes divergem sobre valores. O artista admite o débito na casa dos R$ 4,9 milhões - em valor atualizado até junho de 2021 -, enquanto o ex-jogador defende que a quantia, em 2019, já superava os R$ 7 milhões. As informações foram confirmadas pelo colunista do UOL Diego Garcia.

Denilson alegou que ainda não havia recebido a indenização após decisão na Justiça. A equipe de Belo chegou a solicitar que o processo fosse tratado em segredo de Justiça, o que não ocorreu por ser um caso "constantemente veiculado pela mídia", detalhou o processo.

Belo participou recentemente da "Dança dos Famosos" (Globo). Os cachês pagos pela emissora foram penhorados após pedido da defesa de Denilson na Justiça, também informou Diego Garcia. O advogado Marcelo Passos, que representa Belo, disse que recorreria após decisão.

Deixe seu comentário

Só para assinantes