PUBLICIDADE
Topo

Em 2007, Patrícia contou 1ª impressão que teve de Andreas: 'Encardido'

Patrícia e Andreas Kisser - Instagram/@patkisser
Patrícia e Andreas Kisser Imagem: Instagram/@patkisser

Colaboração para Splash, em São Paulo

04/07/2022 04h00

Patricia Perissinotto, mulher de Andreas Kisser, guitarrista da banda Sepultura, morreu ontem aos 52 anos, em decorrência de um câncer no cólon. A empresária e produtora era casada com o artista desde 1994 e, em 2007, deu detalhes sobre o início do relacionamento.

Em entrevista à Marie Claire, Patricia contou: "Eu fazia Medicina e uma amiga da faculdade, que namorava o Max Cavalera [vocalista do Sepultura], vivia me falando do Andreas. Vi uma foto e achei ele 'encardido'. Eu era toda certinha. Acabei indo ao ensaio da banda, ficamos amigos. Ele me ligava todo dia, eu não dava bola. Um dia, ele parou de ligar, senti falta".

Andreas estava viajando, mas mandou enviou uma foto declarando a saudade. "Depois, fomos a uma festa à fantasia na faculdade. Ele não tinha roupa, peguei uma da UTI. Nos beijamos na rua, ele de médico e eu de pijama. Dois anos depois, eu me formei e fomos viver nos Estados Unidos", continuou Patrícia.

Na época, a empresária disse que, para ela, o segredo para um bom relacionamento era "achar que não vai funcionar". "Eu achei que ia ser médica, ter meu apartamento. Gostava de música sertaneja, não curtia heavy metal. Éramos a caricatura da certinha e do maluco. Mas Andreas não tem nada de maluco. Ele é meigo, bom".

"Minha avó, que foi casada por 62 anos, me deu um conselho inesquecível. Eu estava triste porque Andreas vivia viajando, falei: 'Estou cansada'. Ela disse: 'Filha, a Lua tem quatro fases, para a gente aprender que as coisas mudam. Quando seu marido voltar, vai ser ótimo'. Muita gente se separa porque acha que as fases são eternas".

Mesmo após 13 anos de matrimônio, Patrícia dizia ainda sentir borboletas no estômago pelo marido. "Ainda hoje, quando vou esperá-lo no aeroporto, me dá um frio na barriga! O grande amor é tudo o que temos e somos, juntos e individualmente, o que construímos, escolhemos, e por isso respeitamos, e por isso é amor".