PUBLICIDADE
Topo

Quem é a autora de 'Como Matar seu Marido' julgada pela morte do marido?

Caio Santana

De Splash, em São Paulo

25/05/2022 04h00Atualizada em 26/05/2022 15h37

A romancista americana Nancy Crampton Brophy está sendo julgada nos Estados Unidos suspeita de assassinar o marido Daniel Brophy, em 2018, na época com 63 anos. Chama atenção o fato de que anos antes ela escreveu em um blog um ensaio chamado "Como Matar Seu Marido".

Nancy é suspeita de matar o marido com dois tiros feitos por uma arma cujo cano, agora desaparecido, ela comprou pelo eBay. Ele estava no Instituto de Culinária de Oregon, em Portland, onde iria dar aulas.

Quem é Nancy Brophy?

Nancy Lee Crampton Brophy tem 71 anos e é a filha do meio de dois advogados de Wichita Falls, no estado do Texas, sua cidade natal. Foi na Wichita Falls High School que Nancy concluiu o ensino médio. Ela indicava no perfil do Facebook que se formou em economia pela Universidade de Houston em 1971, de acordo com o jornal Oregon Live.

Ainda segundo o periódico, ela se casou com um policial, mas o casamento foi um fracasso. Ela não deixaria ele guardar coleções de armas em casa. Os dois acabaram se separando, mas nunca ficou clara a motivação.

Decidida a recomeçar, Nancy se muda para o Oregon no começo dos anos 90 e se matricula no antigo Instituto Culinário Ocidental, hoje renomeado para Le Cordon Bleu College of Culinary Arts em Portland. Ali ela conheceu o futuro marido, chef de cozinha que iniciava carreira como instrutor na instituição.

2 - Reprodução/ Arquivo pessoal - Reprodução/ Arquivo pessoal
Nancy e o marido, o chef de cozinha Daniel Brophy
Imagem: Reprodução/ Arquivo pessoal

Em 1994. Daniel se divorciou da primeira esposa e cinco anos depois fez uma grande cerimônia de casamento com Nancy. Contudo, o casório só foi reconhecido legalmente em 2016, segundo um funcionário do condado de Washington, onde o casal vivia.

Vida de escritora

Formada na escola de culinária, Nancy passou anos se dedicando à produção literária própria e participando de encontros de grupos de escritores locais. Mesmo com redação técnica, ela demorou um pouco até seguir para a ficção e ter os primeiros livros publicados.

"Nancy Brophy é uma autora premiada, cujo primeiro trabalho publicado foi um panfleto para a Universidade de Houston intitulado 'Between Your Navel And Your Knees'. O assunto tratava das mudanças nos costumes da sexualidade nos anos 60 e 70", informa a biografia da escritora no site da Amazon dos EUA.

3 - Reprodução/ Amazon - Reprodução/ Amazon
"The Wrong Lover" descreve a relação de Marshall e Lily, dois adultos experientes, muito ocupados e inteligentes para se apaixonarem
Imagem: Reprodução/ Amazon

Dentre suas obras destacam livros da saga intitulada "Wrong Never Felt So Right" (O errado nunca foi tão certo, em tradução livre), que inclui "The Wrong Husband" (O marido errado) e "The Wrong Lover" (O amante errado), todos feitos após 2013, anos depois que ela se formou na escola de culinária.

"Ao escrever ficção, você cava fundo e desenterra porções de sua própria vida que há muito tempo esqueceu ou enterrou propositalmente [...] Adoro contar histórias. Meus amigos imaginários têm vidas ricas e grandiosas englobadas em algumas centenas de páginas com começos definidos, meio rápidos e, acima de tudo, finais felizes", escreveu Nancy na aba "sobre" em seu site.

Há espaço para falar do marido. Ela diz que é "casada com um chef cujo mantra é: a vida é um projeto de ciências". E cita as criações de galinhas e perus no quintal. "Como todos os casamentos, tivemos nossos altos e baixos, mais momentos bons do que ruins".

"Minhas histórias são sobre homens bonitos e mulheres fortes, sobre famílias que nem sempre funcionam e sobre a alegria de encontrar o amor e a dificuldade de fazê-lo ficar", conclui ela.

4 - Reprodução/ Amazon - Reprodução/ Amazon
"The Wrong Husband" conta a história de uma mulher que tenta escapar do marido abusivo se escondendo na Espanha
Imagem: Reprodução/ Amazon

'Como Matar Seu Marido'

O ensaio "Como Matar Seu Marido" foi publicado em 4 de novembro de 2011 no blog "See Jane Publish", que atualmente está privado. Era uma história de suspense romântico que lista cinco motivações prós e contras, além de possíveis armas para matar seu marido.

"Como escritora de suspense romântico, passo muito tempo pensando sobre assassinato e, consequentemente, em procedimentos policiais. Afinal, se o assassinato deve me libertar, certamente não quero passar nenhum tempo na prisão", introduziu ela, acrescentando que não gostava de macacões e laranja não era sua cor. O juiz responsável pelo caso impediu que o ensaio fosse usado como prova contra ela, segundo uma afiliada da NBC KGW.

"Assassinato, caos e sangue parecem vir naturalmente para mim, o que significa que meu marido aprendeu a dormir com um olho aberto", falou Nancy ao responder sobre o porquê dela escrever suspense romântico, em entrevista ao site Romancing The Genres em 2012, nove meses após publicar seu ensaio.

A escritora está presa desde 5 de setembro de 2018, três meses após a morte do marido. Em comunicado, a polícia informou que ela foi presa "em conexão com o assassinato de Daniel Brophy", não dando mais detalhes, além de que havia uma investigação em curso sobre a suspeita.

Mais tarde, a imprensa local noticiou que os detetives descobriram nesse período de três meses que a escritora havia comprado uma arma e peças reservas para substituição, além de estar tentando receber apólices de seguro de vida no valor aproximado de US$ 1,4 milhão (cerca de R$ 6,7 milhões na conversão atual para o real).

1 - Reprodução/ Portland Police Bureau/ MCSO - Reprodução/ Portland Police Bureau/ MCSO
Nancy Cramton Brophy quando foi presa em setembro de 2018
Imagem: Reprodução/ Portland Police Bureau/ MCSO

O caso e a acusação

O julgamento definitivo de Nancy começou no início de abril e já passou da fase de acusação pela promotoria. Os promotores dizem que a escritora de 71 anos lutava para pagar a hipoteca de sua casa, mas tinha várias apólices de seguro de vida que valeriam um total de US$ 1,4 milhão no caso da morte de seu marido.

"Estava melhor financeiramente com Dan vivo do que com Dan morto", disse ela ao depor em Portland esta semana, informou o jornal Oregonian.

Segundo o promotor Shawn Overstreet, imagens de câmeras de segurança mostram que a minivan de Crampton Brophy estava do lado de fora do Instituto de Culinária do Oregon em 2 de junho de 2018, na mesma hora em que seu marido foi morto em uma das salas de aula.

"Você estava lá ao mesmo tempo que alguém estava atirando em seu marido [...] com o mesmo tipo de arma que você possui e que agora está misteriosamente desaparecida", disse.

Crampton Brophy assegurou ao tribunal que não se lembra de ter estado lá, embora reconheça que deve ter estado, insistindo que as imagens das câmeras de segurança a mostram na área porque ela estava dirigindo enquanto procurava inspiração para histórias. "Acho que, se eu tivesse atirado, saberia todos os detalhes", alegou.

5 - Reprodução/YouTube - Reprodução/YouTube
Nancy Crampton Brophy, autora de "Como Matar o seu Marido", está sendo julgada suspeita de matar o próprio marido
Imagem: Reprodução/YouTube

Testemunhas especializadas contratadas por seus advogados disseram que Crampton Brophy ficou tão chocada com a notícia da morte de seu marido que sofreu amnésia retrógrada e esqueceu os detalhes de sua manhã.

Daniel Brophy, de 63 anos, foi encontrado morto pela manhã por alunos que se preparavam para sua aula. Ele tinha sido baleado duas vezes. Os investigadores dizem que o cano da pistola Glock usada no assassinato foi comprado no eBay. A peça, que conteria pistas forenses condenatórias, não foi recuperada apesar de uma exaustiva busca policial.

Crampton Brophy admite ter comprado uma pistola Glock que, segundo afirma, era para o marido se proteger quando ia coletar cogumelos na floresta, e garante que o cano perdido foi comprado como parte de uma pesquisa para um romance inacabado.

Os promotores dizem que Crampton Brophy, cujo texto "How To Murder Your Husband" ainda está disponível online, enfrentava a ruína financeira antes da morte de seu marido, mas continuou pagando 10 seguros de vida diferentes.

No trabalho em questão, ela discute métodos e motivações para se livrar de um cônjuge indesejado, incluindo ganhos financeiros e o uso de uma arma de fogo, embora observe que as armas são "barulhentas, sujas e exigem alguma habilidade".

"Mas o que eu sei sobre assassinato é que cada um de nós o carrega dentro de si quando pressionado com força suficiente", dizia.

O julgamento, que começou no início de abril, está em andamento e deve ser concluído na próxima segunda-feira (30). Nancy está presa desde 2018.