PUBLICIDADE
Topo

Gustavo Mioto 'surta' em show ao ver homem agredir mulher e se desculpa

De Splash, em São Paulo

23/05/2022 07h52Atualizada em 23/05/2022 13h53

O cantor Gustavo Mioto, 25 anos, se desculpou por xingar um homem que agrediu uma mulher durante seu show em Franca (SP) no último sábado. O sertanejo interrompeu a apresentação e só continuou após o agressor ser retirado do local.

Em um dos vídeos que circula no Twitter, Mioto diz: "Engraçado, o cara dá um soco em uma menina e se acha muito fod*. Pode ser fod* em qualquer lugar na casa dele, mas aqui ele não vai ser não".

"Peço perdão pelo stress e palavrão no meio do show. Homem que bota mão em mulher me faz explodir de raiva. Surtei ali vendo. E tenho certeza que esse tipo não representa o público de Franca", se desculpou o artista na rede social.

O vídeo com o momento da agressão também circula nas redes sociais. Devido ao teor do conteúdo, Splash optou por não reproduzir as imagens.

Denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 180 e denuncie.

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — a Central de Atendimento à Mulher, que funciona em todo o país e no exterior, 24 horas por dia. A ligação é gratuita. O serviço recebe denúncias, dá orientação de especialistas e faz encaminhamento para serviços de proteção e auxílio psicológico. O contato também pode ser feito pelo WhatsApp no número (61) 99656-5008.

A denúncia também pode ser feita pelo Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Há ainda o aplicativo Direitos Humanos Brasil e a página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Vítimas de violência doméstica podem fazer a denúncia em até seis meses.

Caso esteja se sentindo em risco, a vítima pode solicitar uma medida protetiva de urgência.