PUBLICIDADE
Topo

Autora de nova novela da Globo critica Bolsonaro e apoio a porte de armas

Moa (Marcelo Serrado), Pat (Paolla Oliveira) e Clarice (Taís Araujo) são protagonistas de "Cara e Coragem" - Globo/João Miguel Júnior
Moa (Marcelo Serrado), Pat (Paolla Oliveira) e Clarice (Taís Araujo) são protagonistas de "Cara e Coragem" Imagem: Globo/João Miguel Júnior

Filipe Pavão

De Splash, no Rio

21/05/2022 04h00

"Cara e Coragem", a próxima novela das 19h da TV Globo, estreia no dia 30. Apesar da faixa de horário ser conhecida por tramas cômicas, a nova novela não vai deixar de abordar debates relevantes para a sociedade, segundo a autora Claudia Souto, ainda que implicitamente.

A trama vai contar a história dos dublês Pat (Paolla Oliveira) e Moa (Marcelo Serrado), contratados pela empresária Clarice Gusmão (Taís Araujo) para recuperar uma fórmula secreta desenvolvida em sua siderúrgica que pode ser utilizada tanto para o bem, por meio da medicina, quanto para o mal, para a produção de armas na indústria bélica.

A tal fórmula secreta mobiliza também o ambicioso Leonardo (Ícaro Silva), irmão de Clarice, que conta com a ajuda da amante Regina (Mel Lisboa), assessora de Clarice na siderúrgica, e do empresário Danilo (Ricardo Pereira), todos com grande interesse comercial na descoberta e suspeitos de terem hackeado parte dos arquivos.

"Dois temas que estão na novela de forma subliminar e envoltos numa áurea de aventura são questões que estão todo dia no noticiário: o apoio à ciência e a legalização das armas — e todos os benefícios que o governo atual (do presidente Jair Bolsonaro - PL) tem feito no sentido de liberar ou facilitar o acesso às armas", explica.

O tema é sério e está influenciando nas nossas vidas. O mesmo governo que aprova a facilidade para ter novas armas, nos privou de compras de vacinas e tivemos 600 mil pessoas [mortas]. A mãe do Rodrigo (Fagundes) foi uma, minha mãe foi outra.
Claudia Souto, autora de "Cara e Coragem"

A autora conta que leva seu olhar sobre o mundo para as novelas que escreve e busca entender de que forma pode "botar na roda" temas sérios, mas de maneira leve. Para ela, o horário das 19h pede menos drama que os das 18h e 21h por exemplo.

"Eu não vou abordar armamento em uma novela das 19h, que a gente quer divertir as pessoas, de uma maneira totalmente dramática. É um assunto que vem envolto numa áurea 'Indiana Jones'. Eles vão atrás de uma pasta que pode servir para a ciência ou para a indústria bélica", explica.

Claudia Souto é a autora de "Cara e Coragem", próxima novela das 19h - Globo/Fabio Rocha - Globo/Fabio Rocha
Claudia Souto é a autora de "Cara e Coragem", próxima novela das 19h
Imagem: Globo/Fabio Rocha

Muita pesquisa

Claudia conta que estudou durante dois anos para chegar à fórmula de magnésio que é descrita na trama. "Conversei com vários cientistas sobre essa fórmula ajudar na medicina, na reconstituição óssea. Em São Paulo, existem avanços incríveis nesse sentido. Como é ficção, eu posso ir além e mostrar resultados mais concretos na novela, mas que ainda estão em desenvolvimento na vida real", pontua.

"É embasado em coisas que estão acontecendo. A modificação da fórmula pode servir para um aprimoramento de uma arma, sim, porque essas fórmulas potencializam e barateiam outros metais, o que permitiria a produção de mais armas em larga escala e com menos custo. Na novela, a discussão aparece em uma disputa familiar de poder entre dois irmãos, Clarice (para usar na medicina) e Leonardo (para usar no poder bélico), e nessa áurea Indiana Jones de Pat e Moa que vão lá resgatar a fórmula. Tem muita ação e aventura", adianta.

Violência doméstica

Além de refletir sobre a valorização da ciência e do poder bélico na sociedade, outro assunto delicado que vai ser abordado na trama é o abuso psicológico dentro de uma relação a partir da trama do casal Luana (Gabriela Loran) e Renan (Bruno Fagundes).

"Muitas mulheres passam por isso: tem um filho, vai se acostumando, acha que é o jeito do cara. A gente vai ver essa menina lidando com isso de uma forma nem sempre boa para ela", sintetiza Claudia.