Topo

Namorada de ex-ator de 'Chiquititas' leva vida discreta após o crime

Colaboração para Splash

17/05/2022 04h00Atualizada em 17/05/2022 16h01

Paulo Cupertino, principal suspeito de assassinar o ator Rafael Miguel e os pais do jovem, foi preso na segunda-feira, em São Paulo. O crime ocorreu em junho de 2019, e e o acusado estava foragido havia quase três anos.

À época, Rafael era namorado de Isabela Tibcherani, filha do suspeito, hoje com 21 anos. Segundo amigos, Rafael falava muito de Isabela e fazia planos de morar com a namorada.

Diferente de Rafael, que ficou famoso desde criança devido a comerciais, Isabela não era conhecida do grande público, até o crime acontecer em 2019.

"Só queríamos ser livres para amar, sem medida. Queríamos explorar o mundo e explorar a vida. Crescer lado a lado, como um só", afirmou Isabela em uma homenagem feita ao namorado nas redes sociais na época do assassinato.

Meses depois do crime, ela compartilhou em seus Stories uma tatuagem feita em homenagem a Rafael. O desenho diz "together, always", que em tradução literal significa "juntos, sempre".

Nas redes sociais hoje, Isabela é discreta e não dá muitos detalhes sobre o que estuda ou trabalha. A jovem geralmente compartilha selfies e imagens em contato com a natureza.

Isabela fez tatuagem em homenagem a Rafael, meses após o crime Imagem: Reprodução/Instagram

A noite do crime

Em entrevista ao "Repórter Record Investigação", em 2020, Isabela contou detalhes da noite do crime.

"Ele [Paulo Cupertino] me puxou e falou 'entra', me puxou para dentro. Aí o Rafa (disse): 'Não, calma, vamos conversar'. Aí depois não teve mais conversa nenhuma e acabou, foi tiro para todo lado", revelou Isabela. Ela disse que sua primeira reação foi tentar socorrer Rafael. "Minha primeira reação foi recolher o Rafa, pegar ele. Eu coloquei ele deitado assim no meu colo".

A vida após o crime

Um ano depois do crime, em 2020, em entrevista a Record, Isabela falou sobre a decisão de se isolar um pouco e bloquear desconhecidos das redes sociais.

"Eu procurei todo esse tempo levar uma vida tranquila o melhor possível para não perder minha cabeça. Hoje eu faço tratamento psicológico, procuro estar perto de pessoas que possam me oferecer uma rede de apoio bacana", contou à época.

Ano passado, Isabela conversou com o UOL em junho, quando o crime completou dois anos, e revelou sofrer ataques virtuais.

"Tenho de ler coisas do tipo, 'enquanto você está aí vivendo, o Rafael e os pais dele estão mortos, por culpa sua', 'como você consegue ficar aí postando foto nas redes sociais depois de tudo que seu pai fez?', 'você provavelmente sabia e ainda deve ter ajudado'. Isso é muito triste", conta.

À época, Isabela também declarou que tinha planos e projetos musicais, mas acabou os deixando em pausa.

"Tive projetos musicais sim, mas hoje me sinto desmotivada, meio sem propósito na área. Focando mais no meu acompanhamento psicológico, que é constante", contou.

Relação conturbada com o pai

Ontem, após a prisão de Paulo Cupertino, Isabela falou ao "Brasil Urgente" (Band) sobre o acontecido.

"Eu acabei de ser informada, estou no meu emprego, acabei de ser informada sobre a prisão dele e ainda estou assimilando. Não é a primeira vez que eu recebo essa informação, tanto que a minha primeira reação ao receber a ligação foi 'você tem certeza do que está falando? Você confirma isso? Eu não posso ter a minha vida balançada agora", afirmou a jovem na entrevista ao vivo.

Na entrevista, ela relembrou que sua relação com o pai nunca foi boa.

"Isso não é segredo para ninguém, que não [tinha boa relação com ele]. Sempre deixei isso muito claro, que nossa relação nunca foi saudável e que o que ele fez, embora não fosse tão esperado, não era tão surpreendente pela índole que ele tem", declarou.

Isabela também se manifestou de forma breve, pelos Stories do Instagram: "Não consigo falar muito a respeito agora, mas quero agradecer todas as mensagens de apoio. É uma mistura muito grande de sentimentos e agora preciso de espaço", declarou a jovem.

Relembre o caso

O ator Rafael Miguel, que interpretou o personagem Paçoca na novela "Chiquititas", do SBT, e seus pais, João Alcisio Miguel e Miriam Selma Miguel, foram assassinados em junho de 2019, em São Paulo.

Os três foram baleados após terem ido até à casa da namorada do ator de 22 anos, Isabela Tibcherani. O crime aconteceu na Estrada do Alvarenga, no bairro Pedreira, na zona sul da Capital.

O pai da namorada de Rafael, Paulo Cupertino Matias, teria sido o autor dos disparos. Ele era contra o namoro da filha. No mesmo mês, a Justiça decretou a prisão temporária de Cupertino, que fugiu depois do crime.

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Namorada de ex-ator de 'Chiquititas' leva vida discreta após o crime - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL