PUBLICIDADE
Topo

Momento de luto ou Deus escolheu? Quem criticou e apoiou a Jade na novela

No meio do furacão: Jade Picon é criticada e elogiada por possibilidade de atuar em novela - Globoplay/Reprodução
No meio do furacão: Jade Picon é criticada e elogiada por possibilidade de atuar em novela Imagem: Globoplay/Reprodução

Franceli Stefani

Colaboração para o UOL

14/05/2022 04h00

O furacão do Big Brother Brasil 2022 pode estar na novela 'Travessia', de Glória Perez, da TV Globo, e essa decisão veio cercada de polêmica. A escolha da empresária e influencer Jade Picon, 20 anos, foi duramente criticada pela classe artística nas redes sociais, especialmente porque ela não é uma atriz formada nem tem registro profissional (DRT).

Na história, ela deve interpretar uma personagem bastante semelhante com quem é na vida real: uma jovem rica, conectada nas redes sociais e que precisa lidar com maldades da internet, como as fake news. Tudo indica que vai contracenar com Chay, ou seja, terá um papel de destaque.

"A Globo quebrou vários contratos com profissionais do ramo e de repente escalou influenciadores com muitos seguidores. Existem testes de elenco que já perguntam para a pessoa quantos seguidores ela tem no Instagram. Incomoda saber também que tem gente que está batalhando há bastante tempo, que é muito melhor, merecia estar lá e não está", resumiu Cristina Padiglione, colunista da Folha, no Splash Vê TV.

Anna Rita Cerqueira - Divulgação/Record - Divulgação/Record
Anna Rita Cerqueira participou de novelas como a bíblica 'Jezabel'
Imagem: Divulgação/Record

Cadê o DRT?

"Meus 10 anos de curso de teatro se encontram de luto após essa notícia", escreveu a atriz Anna Rita Cerqueira no Instagram, ao criticar a possível escalação da ex-BBB.

Ela, que já atuou em 'A Vida da Gente' e 'Espelho da Vida', da Globo, ironizou a notícia, dizendo que poderia mudar de profissão de uma hora para outra. "Amanhã vou acordar e virar médica, ou quem sabe advogada... bora que estudar não tá com nada".

Nina Tomsic - Reprodução/Internet - Reprodução/Internet
Nina Tomsic atuou em 'Quanto Mais Vida, Melhor',
Imagem: Reprodução/Internet

Será que aguenta?

Não foi a única. "Duvido aguentar um dia. Nossa profissão é pra gente qualificada. Não tem glamour, não é fácil e não é qualquer um que faz", disparou Nina Tomsic nas redes sociais. "Isso é, no mínimo, um desestímulo para tantas pessoas da profissão que batalham há anos por uma oportunidade nesse mercado de trabalho bizarro."

A atriz, que viveu Ingrid no folhetim 'Quanto Mais Vida, Melhor', foi perseguida pelos fãs de Jade. Depois do desabafo, chegou a apagar as mensagens de ódio que recebeu e restringiu os comentários.

"Único comentário que eu vou fazer sobre essa palhaçada toda: entendam que ninguém está contra a Jade. Não é sobre a Jade. Ela não está em debate. Estamos debatendo sobre os responsáveis de colocar ela nesse lugar. Todos nós sabemos que quem mais vai sofrer nesse processo é ela", explicou.

Nicole Bahls - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Nicole Bahls defende que beleza ajuda a dar tudo certo
Imagem: Reprodução/Instagram

Foi escolha divina?

Já a modelo Nicole Bahls disse que todos deveriam torcer pela influenciadora, que "é tão linda" que "daria tudo certo".

Segundo ela, quem escolhe mesmo é Deus. "Tem papéis que não são nossos, que cabe a Deus. Se ele quis e escolheu ela, nós temos que aplaudir. Quanto mais pessoas felizes e realizadas, mais feliz eu vivo sempre. Vamos torcer pela boa participação dela", enfatizou.

Bahls ainda tentou defender que "a oportunidade é dada para todos". "Não adianta ter inúmeros diplomas se Deus não escolher para brilhar. Ninguém nasce atuando, aprende com tempo e aulas", comentou.

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2022/ex-bbb-natalia-deodato-se-muda-para-o-rio-de-janeiro-e-sonha-em-ser-atriz-1652447075571.vm')

Fofa e "padrão" tem mais espaço

Em entrevista ao Extra, a ex-BBB Natália Deodato disse que gosta muito de Jade e entende que ela trabalhou para chegar onde está. Mas, aproveitou para criticar o padrão televisivo. A nova candidata a atriz é "padrão, menina meiga, branquinha, cabelo liso, olhos claros, fofa", disse.

Deodato falou ainda que sonha mesmo é com uma mulher forte e empoderada na tela. "É isso que eu quero ver, quero ver essa mudança".

Caio Manhente - Estevam Avellar/TV Globo - Estevam Avellar/TV Globo
Caio Manhente diz que entende, mas não vê problema
Imagem: Estevam Avellar/TV Globo

Desvaloriza a profissão, mas tudo bem

O ator Caio Manhente, intérprete de Gabriel de 'Quanto Mais Vida, Melhor', disse que até entende a crítica do classe artística à decisão da Globo, mas que não acha que muda muita coisa.

"De alguma maneira, desvaloriza um pouco a nossa profissão, mas também acho que isso não tem muito a ver", falou. "Diz mais sobre a indústria do entretenimento e sobre a desvalorização da nossa profissão. A Jade, no fim das contas, não tem muito a ver com isso."

cantor Zé Felipe - Reprodução - Reprodução
Até o cantor goiano Zé Felipe deu opinião
Imagem: Reprodução

Deixa ela

Quem saiu em defesa da ex-BBB foi o cantor Zé Felipe. "Mas ow, chatice esse trem com a Jade. Deixa a menina fazer a novela, car*lho", falou. "Povo tá enchendo o saco da menina", concluiu o filho de Leonardo.

Também pelas redes, Jade rebateu os comentários. "Olha, veja se não é um lindo dia para ofender alguém. Principalmente, se esse alguém sou eu", disse a ex-BBB nos Stories, do Instagram, ao cantar a música "Olha", da banda Lagum.

Mas é lei...

A questão é que segundo a Lei 6.533, promulgada em 1978, artistas e técnicos que trabalham na TV, cinema, teatro, publicidade, etc. precisam ter o registro profissional emitido por uma DRT (Delegacia Regional do Trabalho). A sigla DRT se tornou a forma popular de dizer no meio artístico que se tem o "certificado" legal para trabalhar.

Para conseguir o registro como ator ou atriz, é necessário ter diploma em um curso superior de artes cênicas ou em um curso de teatro reconhecido pela Delegacia de Ensino do MEC (Ministério da Educação).

De qualquer forma, a Globo já deu um jeitinho no passado de conseguir um registro para quem não tinha.