PUBLICIDADE
Topo

Breno Silveira também dirigiu 'Dom', série polêmica sobre 'bandido gato'

Flávio Tolezani e Breno Silveira no set da série "Dom". O cineasta dirigiu a primeira temporada da série da Amazon Prime Video - Divulgação
Flávio Tolezani e Breno Silveira no set da série 'Dom'. O cineasta dirigiu a primeira temporada da série da Amazon Prime Video Imagem: Divulgação

De Splash, em São Paulo

14/05/2022 14h29

O diretor Breno Silveira, morto hoje aos 58 anos por um infarto fulminante, tem "2 Filhos de Francisco" (2005) como sua obra mais famosa — mas, no ano passado, foi alvo de polêmica por outro trabalho.

Ele também dirigiu a série "Dom", sobre Pedro Dom, conhecido como o "bandido gato" no início do século e morto desde 2005. Após o lançamento da obra no Amazon Prime Video, a irmã de Pedro escreveu uma carta aberta dizendo que a família não havia autorizado a produção da série.

"Minha mãe, separada de meu pai, desde sempre disse não a esse projeto. Sua história de vida com seu filho se tornou um produto. Por que a voz da mãe foi descartada?", escreveu Erika Grandinetti em texto publicado no Facebook.

A série da Amazon retrata sobretudo a relação entre Pedro (interpretado por Gabriel Leone) e o pai, Victor (Flávio Tolezani). Isso inclui as tentativas do pai para salvar o filho — desde subir a favela para retirar Pedro de festas às internações para tratar o vício. A história é baseada nos relatos de Victor e no livro "Dom", de Tony Bellotto.

No entanto, Nídia Sarmento, a mãe do jovem, conta uma versão bastante diferente: ela diz que foi a responsável por internar o filho sete vezes para tratar a dependência química, e que o pai tirava Pedro das instituições por não aceitar a patologia do filho.

Além disso, a irmã de Pedro descreve o pai como violento: "Meu pai cuspia no chão de dentro de casa, era violento, quando brigava com a minha mãe 'enquadrava' ela como se estivesse falando com um estuprador!"

Na época da polêmica, Breno Silveira escreveu uma carta ao elenco da série dizendo que havia combinado com Victor e sua filha mais nova que parte dos lucros da obra iria para o filho de Pedro, que hoje tem 16 anos. E acrescentou:

"Toda a história é contada a partir de um ponto de vista, o ponto de vista que chegou a mim. Pai e filha são sócios do livro que foi base de tudo e da série."