PUBLICIDADE
Topo

Equipe da GloboNews é insultada e repórter quase é atropelada ao vivo na TV

Paula Araújo, repórter da GloboNews, durante reportagem em abril deste ano - Reprodução/ GloboNews
Paula Araújo, repórter da GloboNews, durante reportagem em abril deste ano Imagem: Reprodução/ GloboNews

Caio Santana

De Splash, em São Paulo

12/05/2022 14h50Atualizada em 12/05/2022 15h12

A repórter da GloboNews Paula Araújo estava ao vivo em uma reportagem do "Em Pauta", com a repórter cinematográfica Patrícia Santos, na manhã da última terça-feira, quando um homem avançou com um carro na direção dela, na zona sul de São Paulo, após fazer insultos a ambas e críticas à TV Globo. Paula quase foi atropelada.

Em conversa com Splash para comentar o episódio, Paula disse que "foi um susto" o momento, mas que não aconteceu nada de mais grave. Tanto ela quanto a repórter cinematográfica Patrícia Santos encontram-se bem neste momento.

De acordo com o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, o homem, que não foi identificado, havia parado em um semáforo perto das repórteres quando começou a ofender e ameaçar as profissionais, além de criticar a TV Globo.

Como as jornalistas não responderam aos ataques, ele colocou a marcha a ré e avançou contra Paula, que estava na calçada. Ela consegue desviar e um trabalhador de um comércio avisa que ia chamar a polícia. Uma viatura da Polícia Militar estava próxima ao local, mas os policiais não teriam presenciado o ataque.

1 - Reprodução/ Instagram @paulaaraujo_jornalista - Reprodução/ Instagram @paulaaraujo_jornalista
Paula Araújo gravou stories no Instagram na manhã desta quinta-feira (12) e apareceu animada
Imagem: Reprodução/ Instagram @paulaaraujo_jornalista

"As jornalistas afirmam que essas circunstâncias inibiram o agressor de tentar algo ainda mais grave", comunicou o sindicato em seu site e conta no Twitter.

A emissora foi procurada por Splash para falar sobre o episódio e saber se foi feito algum boletim de ocorrência na polícia. Através de nota, a Comunicação da Globo disse apenas que repudia a violência e se solidariza com as profissionais.

"A TV Globo repudia com veemência a violência, se solidariza com a repórter Paula Araújo e com a repórter cinematográfica Patrícia Santos e adverte, mais uma vez, que todos os que agridem o trabalho da imprensa estimulam esse tipo de ato", declarou a emissora.

O episódio de agressão desta semana é o terceiro em um intervalo de sete meses que ocorre com profissionais do Grupo Globo em São Paulo. Em outubro de 2021 um homem deu uma cabeçada no nariz do repórter cinematográfico da GloboNews, Leandro Matozo, na parte externa do Santuário de Aparecida. Já em março deste ano, dois repórteres da TV Globo foram agredidos com uma corrente no Brás, em São Paulo.

"O SJSP (Sindicato dos Jornalistas de São Paulo) e a Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) conclamam todos aqueles que defendem a vida, que não desprezam o outro, que se mobilizem para frear essa escalada. E que as empresas tratem essa questão como prioridade número 1, antes que o pior aconteça", pede o SJSP em nota.